Aviso!

Olá caro humano, seja bem-vindo ao nosso mundo sobrenatural! Se essa é sua primeira vez aqui, recomendo que comece a lê por nossa primeira história, “O Sequestro”, que pode ser facilmente encontrado se você abrir o botão da primeira geração, Detectives, que fica no menu acima. Caso você seja um de nossos fãs, tenha uma boa leitura e não esqueça de comentar, ou caso contrario, kraismos morderá todos vocês, isso se Castiel não lhe bater primeiro.

sábado, 18 de junho de 2016

24 - A daquele que não pertence a esse mundo




I
É mais fácil odiar a raça humana do que a ama-la, pois a dor de perder alguém que se ama é bem maior que a dor de saber que é odiado por todos (ELE)





Bruxelas – Bélgica

            A agua a cair, sobre aquele corpo pálido, lembrava as ninfas dos contos gregos que se banhavam a beira do lago. Seus olhos agora de uma única cor, seus cabelos agora loiros. Onde antes havia tecido agora há apenas sangue. Sangue que se vai junto da agua.
            Mesmo sendo magro Felipe possua belos músculos, e aquela pele branca apenas realçava a cor azul cristal de seus olhos de seus olhos.
            Após vestir uma roupa social cinza um pouco azulada desceu de seu quarto e foi em direção a sala, onde suas jovens visitas estavam.
            -Como você está Lorde Elion? –Disse ele se aproximando de seu jovem senhor.
            Ed e Gui se posicionaram em frente a Elion como uma barreira protetora.
            -Quem é você? –Disse Gui começando a retirar seu anel.
            -Pessoal, relaxem. –Disse Elion se levantando. –Olá Felipe, estou bem melhor, obrigado por se preocupar.
            -Não agradeça jovem mestre, estou fazenda apenas o mínimo que deveria ter feito.
            Ed se aproximou de Elion e perguntou.
            -Elion, quem é esse cara?
            O Rapaz o encarou, não apenas a ele, mas a seu outro amigo que ansiava pela mesma pergunta e respondeu um pouco confuso.
            -Bom, esse é Felipe, o nosso anfitrião.
            Os outros dois olharam para aquele projeto de modelo e falaram em uni som.
            -Aaaaaa... Pera. O quer? Esse cara é o Mestre dos brinquedos? Mas, mas, ele é lindo.
            Com um  sorriso Felipe falou.
            -Fico grato pelo elogio, mas minha beleza não chega aos pés da real beleza de meu Lorde. –Ele disse se curvando perante o jovem Elion.
            Após cora um pouco Elion colocou a mão em sua cabeça e foi quando eles ouviram a voz de uma criança.
            -Ai porra, estou aqui, caralho.
            O rosto de Elion ficou azul e toda atenção caiu sobre sua cabeça e seu obro.
            -Não sabia que o senhor tinha dois familiares. –Disse o Mestre doa brinquedos se aproximando.
            -Ele não tem dois familiares. –Disse a voz de uma pequena dama que estava sentada no obro de Elion. –Prazer Mestre dos brinquedos, meu nome é Neify, e como já tenha deduzido sou uma ninfa. –Ela começou a voa e disse. –E esse sobre a cabeça do jovem mestre é Doby, ele é quem é o Elffo familiar do jovem mestre.
            -Meu nome não é Doby. –Disse apequena criaturinha verde de orelhas pontiagudas.
            Elion segurou a pequena criatura por sua camisa e disse.
            -O que você está fazendo aqui sem minha ordem, e que merda de vocabulário é esse que você está usando? E pela ultima vez, a porra do seu nome é Doby por que eu não sei pronunciar a porcaria de seu nome original.
            Todos os outros presentes ficaram surpresos com a forma que Elion tratava a pequena criatura e pelo fato do familiar da criatura mais poderosa sobre a terra ser um projeto de Elffo.
            -Isso foi um pouco inusitado. –Disse Gui por fim.
            -Por que eu tenho que sofre bullying na porcaria desse universo, tudo o que eu queria era um Elffo que me obedecesse ou ao menos soubesse usar os poderes, mas o que eu recebo? Uma criança élfica que tem a boca suja, santo Deus o que fiz para merecer isso?
            -Eu ainda estou aqui sabia. –Disse Doby ainda pendurado pela camisa.
            Elion o encarou e em seguido o soltou, se Neify não o tivesse segurado provavelmente ele teria ido de cara ao chão.
            -Você pretende sai? –Elion perguntou ao ver como o mesmo estava vestido.
            -Bom, eu pretendia continuar investigando quem poderia ter tentado contra sua vida, jovem mestre. –Felipe olhou para os outros garotos e disse. –Teria como Lorde me empresta esses dois, creio que precisarem da ajuda dos dois, principalmente a de Ed casso tenhamos que entra em um lugar protegido por magia.
            -Faça como quiser, mas irei lhe advertir em uma única coisa. –Elion encarou O mestre dos brinquedos com um olhar frio e maligno. –Se Ed ao menos chegar a se arranhar, enquanto estiver sobre seus cuidados, considerasse um homem morto.
            -Não se preocupe meu Lorde. –Disse Felipe com medo. –Eu o protegerei como protegeria a minha vida.
            -Não você não vai. –Elion voltou a falar. –Eu entendo que nossa real situação está complicada e que toda a ajuda é bem vinda, mas você não deve proteger Ed como a sua vida, pois sua existência não vale nada comparada a unha do pé dele, estamos entendido?
            -Yes My Lorde.
            -Ótimo, agora por favor leve Doby com você, e não se preocupe com a vida dele, ele não vale muita coisa.
            -O queeeeee. –Disse a pequena criatura. –Pai?
            -Eu não sou seu pai criatura feia. –Elion gritou com seu familiar.
            Com os olhos cheios de lagrimas ele saiu chorando e parou ao vê que havia biscoitos com gotas de chocolate em cima de uma pequena mesa.
            -Biscoito. –Disse ele com um largo sorriso esquecendo tudo o que havia acontecido recentemente.
            Elion colocou a mão sobre o rosto e revirou s olhos.
            Ed e Gui tentavam segurar o riso, quando Felipe disse que era melhor eles irem andando.
Elion foi até a mesa onde seu elffo estava e lhe entregou um dos biscoitos.
-Vocês conseguiram alguma informação sobre a tumba de nosso Lorde?
-Não senhor. –Disse a ninfa se aproximando. –Procuramos informações em todo o mundo, falamos com as mais influentes famílias do clã e vasculhamos centenas de bibliotecas, mas não obtivemos nenhum resultado.
-E ainda mais essa. –Disse Elion olhando para sua xicara e vendo seu chá vibra. –Neify cuide de Doby.
-Sim senhor. –Disse ela olhando para a criaturinha verde engasgada com o biscoito.
Christopher e David sugiram diante a presença de Elion.
-A quanto tempo C. –Disse Elion olhando para o sovem das correntes. –Suponho que você seja o senhor Huhlvan, mais conhecido como o quarto.
-Por favor. –Disse ele. –Me chame apenas de David, jovem mestre.
-Senhor? –Disse Neify se aproximando.
-Vejo que você andou domando de conta de minha ninfa Elion. –Christopher disse olhando para a pequena criaturinha a sua frente. –A quanto tempo Neify.
-O que vocês desejam? –Elion disse o interrompendo.
-Queremos fazer um acordo. –Disse David se aproximando.
-Desculpe-me, mas, não estou em clima de fazer acordos, principalmente depois de tudo o que aconteceu. –Elion disse as ultimas palavras encarando Christophe nos olhos.
-Sabemos do atentado contra sua vida, e sabemos que não apenas o clã, mas todo mundo magico estar preste a entra em uma guerra, e o senhor mais que ninguém sabe que se isso acontecer, não apenas o mundo magico será destruído, mas o mundo humano será levado junto. –David disse parando em frente a Elion. –Estamos aqui pois sabemos que pertentem lhe ataca novamente, queremos lhe proteger e em troca você nos dará uma informação em troca...
-Como eu já disse, não preciso da proteção de vocês. –Elion se virou para sair quando Christopher apareceu em sua frente colocando a mesma arma que envenenou Stiven no abdome de seu mestre.
-Desculpe-me senhor, isso é apenas para mostrar que o senhor presisa da gente...
A lamina de uma espada foi colocada sobre a garganta de Christopher o fazendo para de falar.
Antes que David pudesse fazer algo, a mesma lamina estava em seu pescoço.
-Vocês acham que eu sou tão fraco a ponto de precisar da ajuda de vocês, seus vermes. –Disse os dois Elions que estavam segurando as espadas.
O Elion que estava sobre a mira de Christophe desapareceu como uma miragem e um terceiro surgiu entre os dois segurando em cada uma das mãos uma espada. Em sua mão direita estava a mesma espada que ele usou na luta contra o samurai da Yakuza e essa estava impressionando o abdome daquele dito como guardião do Pilar do Ar. E em sua mão esquerda estava a Excalibur, a arma usada pelo guardião do Pilar do Fogo e a mesma estava impressionada ao abdome de seu mestre.
-Mas como? –David disse dando falta de seu anel.
-Como já disse antes, não preciso da ajuda de vocês. –Os Elions que estavam por traz dos outros dois desapareceram. –Agora vão, e não ouse voltarem, ou do contrario não pouparei a vida de vocês.



II
Alemanha

-Conseguiu descobri alguma coisa, sobre o veneno utilizado em Elion? –Perguntou Edgar.
-Ainda não. –Respondeu Rapha. –Mas algo não está certo, a figueira do diabo deveria matar um bruxo em alguns segundos e ao investigar o ocorrido com o mestre em simbologia, ele agonizou por dias, e não morreu imediatamente como o de costume, já Lorde Elion, ele também agonizou de dor, e a figueira do diabo não deveria surtir efeito nele, já que o mesmo não é bruxo, levando em consideração que a figueira do diabo é capas de matar um ser humano explicaria alguma coisa, mas chegar a derrubar Elion? Ai já é de mais.
 -E enquanto ao que Lucy disse. –Edgar voltou a falar.
-O manuscrito de voynich? Até onde eu saiba apenas Elion e o quarto em quem consegui o ler. Os bruxos que nos atacaram não sabiam que Elion é quem era o regente, eles achavam que eram a mim, e Elion seria mais útil para David vivo do que morto, então não vejo um por quer dele ter armado aquele ataque.
-Acho que estamos deixando algo passa.
-O problema meu amor. –Rapha disse segurando o pescoço de seu amado. –É, o quê?



III
Em algum lugar no Tibet

-Mas que porcaria. Essa biblioteca é grande pra caralho. –Disse Lucy sentando-se no chão. –Não é a toa que o livro esteja pedido há séculos.
Lucy olhou para o pedaço de pergaminho e varias lembranças veio em sua mente, e ao lembra o rosto de uma garota uma lagrima escorreu pelos seus olhos.
-Soy. –Disse ela perdida em seus pensamentos, de repente a imagem de um garoto se formou em sua mente e ela disse seu nome forçando um sorriso. –Nicolas sua peste. –Lucy caiu deitou sobre aquele chão e agora encarando a chave em sua outra mão ela disse. –Estou com saudades Satch, mas prometi a mim mesmo que só voltaria ao reino de Lux quando obtivesse respostas sobre minha vida. Em enquanto esse dia não chega. –Com um salto ela se pois de pé e se apoiou sobre uma estante de livros. –An? –Disse ela ao ver a prateleira de livros pender e cair sobre a outra a fazendo cair também, gerando um efeito domino derrubando todas as outras estantes. –Acho melhor eu ir descobrir onde perdi minha calcinha. –Disse ela saindo de mansinha.



IV
Paris – França

-Tanto trabalho pra nada. –Disse Natallie furiosa socando a parede do banheiro.
-Me desculpe mais uma vez, a culpa foi minha.
-Não Héstia, não foi, foi tudo uma armação daquela vadia dos infernos.
-Mas foi eu quem fez o acordo.
-Mas você não estava me levanto até ela e sim para Katherine aquela puta serva de Hades foi quem influenciou na sua magia e nos levou até ela, foi ela quem disse a  David onde eu estaria, ela queria a espada desde o começo e não foi apenas isso, ela também obteve uma lamina que tocou o sangue de Elion.
-Minha senhora, o que ela pretende fazer com tais objetos?
-Eu não sei, a única coisa que sei é que pretendo mata-la.
- Milady. –Disse a salamandra a interrompendo. –Tem alguém aqui.
Swan serrou os olhos e retirando seu anel abriu a porta do banheiro e ao ver quem estava próximo a sua cama ela disse recolocando sua arma milenar de volta do dedo.
-Filip. –Disse ela surpresa.
-Swan. –Respondeu o garoto com um largo sorri estampado em seu rosto.
-Mas o que você faz aqui, você deveria está estudando ou fazendo algo para a rainha Elizabeth...
Swan teve seus lábios selados pelos do garoto.
-Eu te amo Swan, e não vou desistir de você só por que você acha que seria perigoso. –Ele a beijou novamente. –Por você eu daria minha vida e não me importo de estraga-la se for o resultado de estar ao seu lado. –Ele mais uma vez voltou a beija-la.
Após um tempo Natalie olhou para Héstia que acenou como resposta e desapareceu logo em seguida.
Swan foi jogada sobre a cama e Filip caiu sobre ela e antes que ele pudesse a beijar novamente e ela disse.
-Se você de fato vai querer isso, tem algo que deves saber primeiro...
-Que você é uma bruxa. –Disse ele a interrompendo. –Logo após você ter me deixado para trás no palácio, eu comecei a investigar para descobrir o porque de você não me querer por perto e acabei descobrindo tudo sobre você e sobre a famosa Cúpula que causa medo até na ilustre rainha da Inglaterra e acabei descobrindo tudo, tudo mesmo, até o fato que é essa cúpula quem de fato governa o planeta, a única coisa que não descobri foi quem ou o que é ELE.
Swan apenas fechou os olhos em resposta, começando assim a receber vários beijos do garoto, não apenas em seus lábios, mas em seu pescoço também.
-Por favor, deixe-me ficar ao seu lado, e lhe ajudar em tudo o que for possível.
Mas uma vez a garota não disse nada, apenas segurou a camisa do garoto que foi consumida por chamas, chamas essas que não o feriu apenas consumiu suas vestimentas, deixando a amostra um corpo bem definido.
-Não diga mais nada. Apenas me possua. –Disse ela por fim.



V
-Já está ficando tarde. –Disse Elion tomando seu chá em um jardim suspenso na casa do Mestre dos brinquedos.
A mansão de Felipe era enorme, boa parte de sua estrutura era de vidro, levaria em torno de horas para da a volta ao redor de toda a construção.
Elion estava no ultimo andar, em uma estufa onde havia centena de flores e ervas exóticas.
-Boa noite, soberano do mundo magico. –Disse a voz de uma mulher atrás de Elion.
Após respirar fundo ele se levantou deixando sua xicara sobre a mesa.
-A quem devo a visita?
-Cora, ao seu dispor. –Disse uma mulher de cabelos cacheados.
Varias outras pessoas apareceram ao seu redor, incluindo o velho que levou a todos do baile.
-Quem são vocês? E o que querem? –Disse Elion.
-Cometemos um erro ao acreditar que a senhorita Hohenfels fosse a regente do mundo magico, nunca pensamos que um pirralho feito você fosse o real encarregado com o equilíbrio entre os mundos. –Disse o velho.
-Mas respondendo a sua pergunta. –Disse a mulher de cabelos cacheados. –Somos membros de uma ordem que planeja trazer o Lorde das trevas de volta a esse mundo.
Elion sentiu seu corpo vibra.
-Lúcifer. –Disse ele. –Vocês pretendem libertar Lúcifer do inferno?
-Bingo. –Disse ela começando a rir.
-A rumores que dizem que seu sague é capas de rasgar dimensões e abri portais. –Disse o velho. –Estamos aqui para lhe matar Lorde Elion.
-E como vocês pretendem me matar mesmo?
Cora começou a rir e disse.
-Assim.
Um dargo acertou Elion no pescoço.
-Sabemos que a figueira do diabo não surte efeito em você, mas uma forte doce concentrada é capaz de lhe para por um tempo. –Disse o velho com uma lança em mãos se aproximando da de cabelos cacheados. –Gostaria de fazer as honras. –Disse ele a entregando a lança.
Cora tomou a lança para sir e após contempla Elion caído de joelho, sorriu e arremessou a lança em direção a seu peito.
-Elion. –Um grito percorreu o ouvido do garoto que estava de joelhos e ao levantar a cabeça ele viu a lança atravessada no corpo de Ed.
A lança havia perfurado o abdome do garoto, sague saia de sua boca e por todo ferimento. Ed caiu sobre aquele piso, ele estava morrendo.
-Onwt, acho que acabei matando o namoradinho por engano. –Disse Cora rindo. –É melhor eu terminar o serviço disse ela indo em direção a Ed.
Ela parou ao ver Elion se levantar.
Algo estava diferente, uma enorme energia tomou conta do lugar. Elion se erguia como se estivesse com um enorme peso em suas costas, o espaço ao seu redor estavam distorcidos.
Ele olhou diretamente para Cora, em seus olhos estavam os selos feito por Yue e ao piscar os olhos o símbolo sumiu e os olhos de Elion não estavam mais castanhos eles haviam adquiridos um forte tom de azul, marcas tribas tomaram conta de seu corpo, a aurora boreal surgiu em todo o jardim e com um forte urro dado por Elion um par de assas surgiu em suas costas, a aurora boreal começou a cerca-lo.
-Que porra é essa? –Disse Cora assustada.
Dando mais um grito de dor, um segundo par de assas surgiu em suas costas e todos os vidros daquela mansão foram quebrados, não apenas as vidraças daquela construção, mas todos no raio de quilômetros de distancia.
O velho ao lado de Cora disse.
-Fujão.
Antes que a bruxa de cabelos cacheados pudesse se virar, Elion já estava a sua frente com a mão perfurando suas costelas, agarrando seu coração.
Após se alimentar do medo estampado nos olhos da bruxa Elion arrancou seu coração e o esmagou em sua frente.
Cora caiu jazendo sobre o chão.
Em milésimos de segundos depois Elion havia acabado de arrancar a cabeça do velho com um chute, o corpo do jovem regente do mundo magico estava flutuando no ar, não era preciso ele bater suas assas para voa, ele apenas flutuava sem as movê-las.
Não levou muito tempo para que todos estivessem mortos.
Elion repleto de sangue flutuava sobre o corpo de Ed, e ao toca na lança que o atravessava ela simplesmente desapareceu, era como se os átomos que a formava se separassem deixando o nada para traz.
Aquele anjo flutuante controlou aquela rajada de luz que o cercava para entra dentro do ferimento de Ed, o curando.
O Mestre dos brinquedos e Gui que até então lutava contra alguns bruxos que fazia guarda na entrada da mansão, entraram no jardim e a única coisa que viram foram dezenas de corpos espalhados e um garoto de óculos com a face repleta de lagrimas beijando seu amado que estava desmaiado em seus braços.

{...*...}
Que as trevas lhe consuma ao mesmo tempo que as assas de Yue lhe liberta.
Receba as plumas dadas pelo destino e seja livre.
Voe atrás de seus sonhos, enquanto estas acordado, pois ao dormir eles não passaram de lembranças um dia já esquecidos.
Não adianta ter vários arco íris se não há quem os olhem com você.
Receba as plumas do destino e sejas livre.
Não deixes a solidão corromper seu coração já impuro.
Não dance, voe e seja livre.
A escuridão está ao seu lado e a lua não pode mais lhe iluminar.
{...*...}



J. Aeff.

14 comentários:

  1. Muito muito foda já pode postar o outro.😘👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkk valeu, kkk só semana q vem rsrs

      Excluir
  2. Nossa que fodaaaa,a historia ta cada vez mais impressionante mdss o Ed morreu e esse texto final foi simplesmente emocionante chorei rios

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk eu não disse que o Ed morreu ele apenas está desmaiado, kkkkkkk fico feliz q tenha lhe emocionado kkkk

      Excluir
  3. Caramba. Ed não morreu só estar desmaiado.
    Tá cada vez melhor essa história.
    Parabéns Jay por seu trabalho ♥♥

    ResponderExcluir
  4. Uauuuu!Demaissss!
    Kkk não podem fazer isso com o Doby kkk povo malvado kkk não deixam ele em paz. Kkk e Lucy kkk mais uma vez desistiu de procurar o livro e achou melhor procurar sua calcinha kkkk isso está atrapalhando ela kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkk, Lucy é Lucy, kkkkkkkk

      Excluir
    2. e vamos brinca com Doby heuheuheu

      Excluir
  5. E esse final ent' foi muito bom... Vc colocou uma das frases no Meu livro, oq vc me presentiou 😍😍😍👏👏👏👏👏👏👏👏👏 ....
    Vou começar a usar suas frases como status no facebook e no what's kkkkkkk...
    Parabéns por escrever tam bem Jay!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ownt, só quero vê mesmo os status kkkkk

      e obrigado, tento apenas dá o meu melhor.

      Excluir
  6. Coitado do Doby kkkkkkkk.Achei que Ed ia morrer,fiquei até triste.Incrível a parte que Elion se transforma e derrota todos e salva Ed.Adorei a frase do final.

    ResponderExcluir
  7. kkkkkk o final faz muita gente pensar. o Ed não morreu dessa vez aindaaaa. UUUUUUUUUUUUHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir