Aviso!

Olá caro humano, seja bem-vindo ao nosso mundo sobrenatural! Se essa é sua primeira vez aqui, recomendo que comece a lê por nossa primeira história, “O Sequestro”, que pode ser facilmente encontrado se você abrir o botão da primeira geração, Detectives, que fica no menu acima. Caso você seja um de nossos fãs, tenha uma boa leitura e não esqueça de comentar, ou caso contrario, kraismos morderá todos vocês, isso se Castiel não lhe bater primeiro.

sábado, 10 de setembro de 2016

37 - Uma joia quebrada

 




Há muito tempo em um reino esquecido, vivia um pobre idoso, cuja sabedoria atravessou países. Não apenas seu intelecto, mais seu grande poder surpreendeu nações. Antes de sua morte ele revelou ao mundo a verdade por traz de tamanho poder. Uma esfera branca, que emanava uma luz contendo as cores do arco íris, cada feite dessa luz criou um cristal, onde em cada um ele aprisionou um vasto poder e pecado, desde então, aquele senhor ficou conhecido como o Mago dos Cristais.





 I
Vancouver – Canadá: três meses antes da ascensão.




Dizem que sou egoísta em relação aos meus amigos, mas a verdade é que sou super protetor, e não permito que qualquer um se aproxime do que é meu. (Avareza)

-Ai, ai, ai. –Dizia um garoto correndo pelos corredores da escola. –Merda, eu dormir de mais, vou chegar atrasado. –Ele abriu a porta da sala do 3D que ficava no segundo andar e disse. –Desculpe pelo atraso. Hum!? Mas não tem ninguém.
-Alan? –Disse uma voz por traz dele.
-Olá senhor presidente estudantil.
-Por favor, me chame de San, mas o que faz aqui?
-Como assim, eu deveria ter aula, mas não tem ninguém na sala.
San, presidente do grêmio estudantil, um metro e setenta e cinco de altura,  cabelo cortado estilo social, uniforme sempre impecável, conhecido por ter o sorriso mais doce de toda a escola.
Alan, um e oitenta de altura, pele clara, olhos castanhos claros, conhecido pela escola por sempre chegar atrasado. Desculpa? O trabalho.
San colocou a mão sobre o rosto e disse.
-E você está tendo aula, mas sua primeira aula de hoje é de educação física, você deveria estar com outras roupas e lá fora.
-Merda, merda, merda. –Disse ele desesperando. –Eu esqueci.
San apenas revirou os olhos depois que o outro saiu correndo.
-Atrasado como sempre não é mesmo Alan. –Disse um garoto de cabelos coloridos.
-Fiquei até tarde ontem no trabalho e acabei dormindo de mais.
-Por sorte a professorar não sentiu sua falta.
-Como?
O garoto de cabelo azul, roxo e vede apontou em direção a um outro.
-Quem é aquele? –Perguntou Alan.
-Ele é novo na escola, nos dez primeiros minutos de aula, ele já quebrou seu recorde em corrida, quebrou o recorde em salto a distancia, entre alguns outros. A professorar está super excitada por ter um aluno assim.
-Alan. –Disse a professora de educação física. –Quero que você corra com o novato. -Ao ficar  lado a lado a professora gritou. –já.  –E os dois saíram em disparada.
Alan, apesar de sempre chegar atrasado era de fato era rápido, mas o recém chegado a escola lhe superava, ele era praticamente duas verses mais rápido que ele, isso era praticamente impossível.
-Tá de brincadeira. –Disse Alan ofegante ao ver que o outro mal tinha soado.
Seus colegas gritavam no calor da euforia o novato de olhos verdes, era supreendentemente perfeito.
Ainda ofegante e com as mãos apoiada nas cochas Alan disse.
-De onde você veio?
O novato o encarou nos olhos e disse.
-De muitos lugares, nenhum de fato importante, mas quem quer saber?
-Benson, Alan Benson, e você? –Disse ele estendendo a mão.
Após hesitar em pegar na mão do outro ele disse o olhando nos olhos.
-Johan, Ruan Johan. –Disse apertando firme a mão do colega.
-O garoto mal chegou e você tá fretando com ele. –Disse o menino de cabelo azul, verde e roxo.
Após fuzilar o outro com os olhos Alan disse.
-Esse é Angel, acho que ele é meu melhor amigo, não decidimos nossa relação ainda.
Ruan sorriu e disse segurando na mão do outro.
-É um prazer.
Mas não demorou muito e a atenção do novato foi tomada por uma garota de sobre tudo vermelho que passava ao longe.
-Mal chegou e já caiu nas garras Castiel. –Disse Angel de forma irônica.
-Como? –Disse Ruan.
-A gostosona de vermelho. –Angel voltou a falar. –O nome dela é Iana Castiel. Alan baba por ela desde o primeiro ano.
O outro corou e encarou o amigo indignado por estar contando seus segredos para alguém que mal conhecia.
-Serio? –Johan falou surpreso.
-Meio que sim. –Respondeu Alan constrangido.
Ruan desviou o olhar para onde a garota havia entrado e mais uma vez teve a atenção tomada pelo de cabelos colorido.
-Seguinte. Como você é novo na cidade suponho que não tem muito a fazer, vai ter uma festa hoje, tá afim de ir.
-Angel! Não! –Disse Benson o encarando. –Você não vai drogar ninguém hoje, amanhã até onde eu saiba temos aulas.
Ruan riu e respondeu.
-Creio que não tem problema, você também deveria vir, Alan.
-Adoraria, mas tenho trabalho, não posso faltar.
-Ei seus bundas mole. –Gritou a professora. –Não é hora do intervalo para vocês estarem marcando encontro, comecem a correr e você senhor Angel, ainda não lhe vir suar, oito voltas no campo, agora.
O garoto revirou os olhos e disse.
-O.K. Mama monster.
Alan balançou a cabeça de forma negativa
-Não pergunte. –Disse por fim ao novato.



II
-Conseguiu descobrir alguma coisa? –Disse a garota de sobre tudo vermelho batendo na mesa onde um garoto estava sentado.
Iana Castiel, 17 anos, cabelos longos e escuros, pele clara e olhos negros, amava a cor vermelho, usava sempre seus sobretudo, era digamos sua marca registrada, mesmo não usando muita maquiagem, sua beleza era impecável.
-Fica calminha ai Ira, sou um gênio, não um adivinho. –Respondeu um garoto coreano que usava um uniforme como os demais e uma corrente no pescoço.
A garota respirou fundo e disse.
-Desde que minha joia se quebrou tenho ficado com mis ira que o normal.
-É porque aparentemente o mago de cristais selou a ira no ruby, e quando o cristal se quebrou tal pecado tomou de conta de seu corpo.
-Mas aparentemente, meus poderes mais que dobraram desde então, achei que era poderosa apenas por ser a responsável pelo ruby.
-De acordo com o que pesquisei, o mago de cristal original, colocou além do pecado, um imenso poder junto. Quebra tal cristal liberou tais poderes que agora estão em você.
-Mas eu não tentei quebrá-lo, eu só a segurei como sempre ela, se trincou, uma joia não se quebra com tanta facilidade.
O garoto retirou um pequeno livro decapa de couro de sua mochila e disse.
-Como eu já lhe disse, o mito sobre o mago de cristais é irrelevante, não se tem quase nada escrito sobre ele, e eu nem sei dizer se o que tem escrito é uma metáfora ou não. –Ele respirou fundo e disse.
-Mas pelo que aprendi assistindo centenas de animes é que quando uma pedra mística de mais de mil anos se quebra quando alguém a segura, é porque ela de alguma forma o escolheu.
Ira deu um cascudo n cabeça do garoto e disse.
-Isso não é um anime Jiho, foco.
Com a mão na cabeça e os olhos molhados ele disse.
-Eu não sou um saco de pancadas sabia sua bruxa, se você quer bater em alguém, por quer não começa pela professorar de educação física, aquele demônio que obriga os alunos a correres feito idiotas ao redor do campo, até hoje não entendo como correr e subir na corda vai me ajudar no futuro.
Castiel revirou os olhos e disse para sir mesma.
-Nerd sedentário. –Ao retirar o sobre tudo ela deixou a mostra uma enorme pedra de ruby presa a uma corrente de prata. –Você conseguiu alguma informação sobre como encontrar os outros portadores dos cristais?
-Era sobre isso que eu queria falar com você. –Disse o garoto.
-Então sim.
-Bom, não, na verdade não conseguir não.
A garota teu mais um cascudo no outro, mas dessa vez foi com mais força.
-Você deveria ter dito antes então.
-Cara. –Disse o coreano com os olhos cheios de lacrimas. –Soca a parede poxa.
Uma mulher fez um gesto com o dedo para que os dois fizessem silencio, afinal de contas eles estavam na biblioteca da escola.
Ignorando o garoto a sua frente e a bibliotecária a garota disse.
-Ultimamente sinto a presença de outros magos, não sei se eles possuem cristais ou não, e isso está me incomodando.
-Sei bem como é isso. –Disse o garoto. –ultimamente estou sentido algumas energia na cidade, mais não sou muito bom em reconhecer de quem vem.
A garota sentou-se em frente ao outro e disse olhando para cima.
-Vi uma garota no parque ontem a tarde, ela estaca vestida com um casaco alaranjado, seu cachecol e luvas eram da mesma cor, ela tina os cabelos castanhos misturado a um ruivo e seus olhos, seus olhos eram de um tom âmbar. Não sei por que, mas me sentir atraída por ela.
-Só porque ela usa uma roupa da cor de um dos cristais como você, não significa que ela tenha uma joia, e a cor dos olhos não quer dizer nada, seus olhos por exemplo não são vermelhos, e creio que o fato de você ter se sentido atraído por ela deve ser pelo fato de você está se descobrindo como lésbica.
Iana ia dando mais um cascudo no garoto que dessa vez foi mais rápido se desviou.
-Calminha ai Ira, só estava brincando, eu sei que você é caidinha por...
Jiho foi interrompido por um cascudo.
-Não ouse falar o nome dele.
-Você só se aproveita de mim porque eu sou mais novo. –Disse ele colocando a mão de volta na cabeça.
Ela revirou os olhos pegou seu sobretudo e saiu o deixando a sois.
-Vaca. –Disse ele quando ficou sozinho.



III
O dia passou rápido em Vancouver, o crepúsculo refletido no oceano estava simplesmente divino.
Uma garota vestida com roupas que se camuflavam com o por do sol estava caminhando de volta para casa quando um garoto se juntou ao seu lado e disse.
-Olá maninha.
-San? –Disse ela. –Alguma novidade?
-Creio que você estava certa sobre a Castiel, depois que você a viu no parque, prestei atenção e vir que ela de fato sempre estava de vermelho, hoje fiquei de olho nela, e a vir usando ruby, possa ser paranoia minha, mas creio que ela seja uma das portaras dos cristais.
-Ela é, e creio que esteja procurando os outros, por isso o sobre tudo vermelho.
-Isso não é meio perigoso, digo, deixar na cara que tem um dos cristais?
-Nenhum dos portadores pode usar a joia de outro sem antes possuir o fragmento original, e em relação aos demais bruxos, para eles o mito dos cristais não passa de uma velha história contada para crianças dormires. Então não vejo problemas em deixar que vejam meu topásio. –Disse ela retirando de dentro da roupar parte de uma pedra alaranjada. –Carrego p pecado da gula, e diferente do que os outros pensam, minha fome é de poder, vir o nível daquela garota, ela não é tão poderosa, e creio que os demais magos, também não serão.
O presidente do grêmio estudantil movimentou o pescoço o fazendo estalar e disse.
-Preciso descobrir o que ela sabe, temos que encontrar a relíquia do criador dos cristais antes de qualquer outro, só assim para termos o total poder de todas as joias.



IV
-Conta ai, por que você veio morar aqui? –Perguntou Alan.
-Vir pesquisar. –Respondeu Johan.
-Pesquisar? –Questionou Angel.
Após rir um pouco Ruan respondeu andando de costas, para encarar os outros dois.
-Amo histórias mitológicas, e descobrir uma que envolve essa cidade.
-Serio? –Falou Angel.
-Sim, encontrei uma história que fala sobre um portal de um reino distante que se abriu a algumas centenas de anos atrás e uma rachada de luz surgiu no céu e feites de cores contaram o espaço sobre a cidade.
-Nunca ouvir falar nessa história. –Disse Alan de forma sincera.
Ruan o encarou olhando nos olhos, sorriu e se virou desacelerando o passo e ficou entre os outros dois.
-Achei provável que vocês não conheciam. –Disse ele. –É uma história antiga, e há muito tempo já esquecida.
-Merda. –Disse Angel parando.
-O que foi cara? –Disse seu amigo.
-Esqueci as chaves de casa, tenho que voltar para a escola e pegar com minha mãe, vão na frente, e Ruan onde te encontro para irmos aquela festa?
-Que tal no Museu de Vancouver, como sou novo aqui, só conheço ele e a biblioteca.
-Por mim está ótimo. –Disse o de cabelos colorido. –Te encontro lá. –Ele deu a volta e saiu correndo de volta a escola.
Os outros dois seguiram em silencio até que Alan disse.
-Tenho que ir por aqui.
-O.K. Te encontro amanhã na escola? –Perguntou Ruan.
-Claro, e. –Alan parou e pensou um pouco antes de prosseguir. –Tenha cuidado na festa, Angel é um bom amigo, mais ela costuma usar umas paradas não muito legais.
O novato apenas riu em resposta e prosseguiu seu caminho.
Cerca de dez minutos caminhando sozinho Ruan parou bruscamente, a presença de uma energia extremamente poderosa havia surgido pelo ar, seus extintos mandavam caçar o portador de tal poder, mas antes que pudesse fazer algo, da mesma maneira que surgiu desapareceu, repentinamente.
-Ruan? –Disse uma voz por trás dele.




V
Angel já estava de volta ao prédio da escola, naquele horário a escola estava praticamente vazia, os únicos que lá se encontrava era alguns professores e alguns alunos pertencente a algum clube.
A atenção do garoto foi tomada por um grito vindo da biblioteca, sem entender ou pensar direito, suas pernas o conduziram em direção ao grito, em circunstâncias normais, ele chamais iria em direção a um grito sinistro que saiu de uma biblioteca escolar vazia, mas aquela não era uma situação normal, ele sentia algo em seu peito, algo o machucava por dentro, e isso o incomodava.
-Castiel? O que? –Os olhos de Angel se petrificaram ao vê o motivo pelo qual a garota havia gritado.
Havia uma mulher presa a parede, presa por uma estaca de ferro que prendia seus pulsos a parede, não apenas os pulsos, mas havia uma estaca preso em uma das corsas e no abdome dela, sua garganta estava cortada, havia sangue em todo o lugar. Mas não era a cena de filme de terro que lhe chamou a atenção e sim o fato da mulher morta ser sua professora de educação física. Sua mãe.



VI
-Shin? –Respondeu Ruan ao se virar e encarar o coreano que estava com Ira.
-O que você está fazendo aqui cara?
-Pergunto o mesmo.
-Depois que Christopher se aliou a David, e Stiven a Swan, optei por ficar neutro e acabei parando aqui. Mas e você?
-Estou investigando, assunto de Protetor.
-Por acaso seria sobre algum cristal de origem desconhecida?
Ruan o encarou antes de responder.
-Então a história sobre as joias são verdadeiras. –Disse Ruan após encarar o nerd coreano.
-Não apenas verdadeira, conheço uma bruxa portadora de um dos cristais, estou a ajudando a localizar os outros magos, para quem sabe sabermos mais sobre a origem dos cristais.
-Creio que posso lhe ajudar a encontrar os demais magos, e pensando bem, creio que já encontrei um deles.



VII
-Mãe. Pai. Cheguei. –Disse Alan para as paredes. –Claro que eles não estão. -Após a separação de seus pais ele passou a morar com sua mãe que sempre estava trabalhando, ao chegar em seu quarto, o garoto pegou uma pedra azul, presente dado de seu avô, a pedra era um pedaço enorme de safira, possuía um valor exorbitante, mas o valor emocional superava qualquer outro.
Quando ficava sozinho, ele costumava se olhar na joia e relembrar memorias de um passado aparentemente feliz, mas dessa vez algo aconteceu o impedindo de se ver sobre a pedra azul, ela simplesmente se rachou.

J. Aeff 

4 comentários:

  1. Adorei a história, muito boa eu sou do time da ira kkk, mdss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eita kkkkk, a história mal começou e você já tem um time kkkkkkk

      Excluir
  2. História perfeita.. Mas acho q toh um pouco perdida...
    RUAN (conheço bem vuunh) kkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, Pelo que estou vendo, você pulou varias histórias kkkkk, vá com calma rs.
      Ruan? Conhece nada kkkkkkkk

      Excluir