Aviso!

Olá caro humano, seja bem-vindo ao nosso mundo sobrenatural! Se essa é sua primeira vez aqui, recomendo que comece a lê por nossa primeira história, “O Sequestro”, que pode ser facilmente encontrado se você abrir o botão da primeira geração, Detectives, que fica no menu acima. Caso você seja um de nossos fãs, tenha uma boa leitura e não esqueça de comentar, ou caso contrario, kraismos morderá todos vocês, isso se Castiel não lhe bater primeiro.

sábado, 1 de outubro de 2016

39 - Ilusão





I
A escuridão o cercava, seus olhos não via um simples raio do sol, sua cabeça doía, o suor em seu rosto o incomodava, mas não mais que a aflição que sentia em seu peito, ele não sabia se era dia ou noite, ou quanto tempo exatamente estava ali, a única coisa que vinha a sua mente era o quanto seu amigo deveria está preocupado com seu desaparecimento.

Alan tentou reunir mais foças para chama por alguém, porem sua garganta estava seca, e já doía de tanto ter gritado por ajuda.
Ao ouviu passos se aproximando, ele não sentia medo, mas temia por seu amigo, ele não teria a mais ninguém se algo acontecesse com ele.
O saco que estava sobre sua cabeça foi retirado, mostrando a face do garoto que se autodenominava de Inveja.
-Olá azulzinho. –Disse ele referindo-se a pedra do outro. –Por quer você não me conta tudo o que sabe sobre o cristal branco?
Respirando fundo, e com a garganta seca, Alan fez um esforço e disse.
-Eu não sei do que você está falando.
O outro o socou com força e disse.
-Não se faça de idiota mago, sua joia não se racharia se você não force um praticante de magia.
“Praticante de magia? Mas do que ele está falando?” Pensou o garoto amarrado a uma cadeira.
-Olha só. –O de olhos verdes e jaqueta de couro voltou a falar. –Podemos fazer isso da maneira fácil, ou da difícil. Então o que você me diz?
O outro forçou algumas palavras, Iago se aproximou para ouvi-lo.
-Água, preciso de água.
O outro respirou fundo e disse após morder os lábios inferiores.
-Vai ser do jeito difícil. –Ele o socou mais uma vez, porem ainda mais forte, quase o nocauteando. –Espero que você goste de  cobras. –Ele ficou em frente ao outro e estendeu as duas mãos em direção a ele.
O garoto as encarava confuso, sem entender o que o outro estava prestes fazer, mas algo o chamou a atenção, a pele do centro da mão do outro começou a se abrir ficando um buraco negro de onde saiu um pouco de sangue, seguindo de uma serpente.
Sim! De cada uma das mãos saiu uma serpente que foram em direção ao garoto preso à cadeira.
Elas se enrolaram em seu pescoço e após se armarem deram o bote, o mordendo cada uma de um lado de seu pescoço. A dor provocada por elas eram imaginaria, era possível sentir o veneno correndo em suas veias o queimando, e mesmo sem ter mais forças ele gritou, um grito seco e estrondoso.
-Você só sabe gritar caramba? –Disse a Inveja. –Quero vê consegui gritar agora. –Ele se aproximou do garoto segurando forte seu maxilar o fazendo abrir a boca, o outro mesmo com toda a dor que sentia o encarou confuso e ao vê-lo aproximar uma de suas mãos a sua boca e a vê se abrindo e uma serpente negra saindo de lá, ele tentou implorar para ele parar mais nada saiu, nem um único som, todas as suas forças foram esgotadas em seu ultimo grito.
Aquela ultima serpente entrou dentro da boca de Alan, ela descia por sua garganta o asfixiando, se o veneno das outras duas não o matasse, a asfixia o mataria. Uma lagrima começou a escorrer de seus olhos e a escuridão das trevas o tomou mais uma vez e ele apagou.



II
-Algo não está se encaixando. –Disse Shin a sir mesmo. –Se levarmos pelo monto que aquele verso se referia aos sete magos e era um aviso para procurar pela oitava joia, isso significaria que o Mago dos Cristais sabia que estávamos ou que iriamos lê o livro da verdade, e pensa assim é algo insano.
 -O senhor deveria descasar mestre. –Disse uma mulher se aproximando.
Ela possuía um olhar andar estranho, e roupas de garçonete de anime, seu parte de seu rosto era robótico.
-Descansa? Não tenho tempo para isso Yumy, tenho resolver esse enigma deixado por um mago de outro reino, isso sem conta que tenho que refazer seu rosto, e dá uma olhada nessa sua perna, o jeito que você esta andando está me dando medo.
-Desculpe-me por minhas imperfeições senhor, apenas me preocupo com meu mestre.
-Eu sei que sim, lhe criei para isso, se você quer realmente me ajudar com algo, poderia tenta me ajuda com isso.
-Eu adoraria, mas antes devo ir atender a porta, alguém se aproxima dela, com licença, senhor.
-Claro! Esse é o seu serviço afinal.
O robô humanoide foi em direção a porta e ao digita alguns códigos em um painel, ele a abriu.
-Oi, bom dia eu. –Dizia Ruan. –Santa mãe de Deus. –Gritou ele ajustado ao ver o rosto do robô.
-Yumy? –Disse Castiel. –O que aconteceu com seu rosto?
-Nada com que a senhorita deva se preocupar, agora, por favor, entrem, o sovem Jiho está em seu escritório.
Ao entrarem no escritório Ruan disse.
-Alguma novidade cara?
-Nenhuma, quanto mais eu leio, mais confuso fica. Se levarmos pelo lado que o que ele disse, significa que ele sabia que usaríamos o livro, e isso seria surreal.
-Precisamos do sangue dos demais magos de cristal.
Ruan a encarou e disse.
-Por quê?
Castiel o olhou surpresa e disse.
-Bom, Porque, porquê.
Shin percebeu onde Ruan queria chega e se levantou surpreso.
-Por favor. –Disse Johan. –Me empreste seu ruby.
-Para que? –Perguntou ela.
-Achamos que esteja enfeitiçado, bom, mas do que deveria. –Respondeu o sul coreano.
Ira entregou sua joia a Ruan que percebeu que sua teoria estava correta, porem não disse nada, apenas repassou a pedra para o outro, o dizendo tudo com o olhar.
Após encarar a joia Shin disse.
-Sem sobras de duvidas, está encantado, aparentemente, é um aviso, por isso seu desejo de encontra os demais magos, quando a pedra se rachou além de liberar o pecado nela aprisionado, deu ao seu portador a necessidade de encontra os demais portadores das joias, interessante, agora qual o por que disso?
O celular de Ruan tocou, o chamando a atenção.
-Que estranho. –Disse ele ao olha para a tela dele.
-Quem é? –Perguntou o outro.
-Angel. Mas por que ele me ligaria?
-Só tem um jeito de descobrir. –Respondeu Castiel.
-Oi. –Disse ele ao atender.
-Ruan. –Angel disse de forma desesperada. –Cara, eu não sabia mais para quem ligar.
-O que aconteceu, você está estranho. –Disse o Protetor.
-O Alan, ele saiu ontem a tarde  e ainda não voltou, acho que algo poderia ter acontecido com ele, cara, eu não sei o que fazer.
-Eu vou dá um jeito nisso. –Ruan olhou os outros dois e voltou a falar. –Acho que sei com quem devo falar, não se preocupa, eu vou encontra-lo.
-O que ele disse? –Perguntou Castiel assim que o outro desligou.
-Tenho péssimas noticias. –Falou Johan. –Shin, sabe aquele cara da lanchonete, onde achamos que ele estava ouvindo nossa conversa.
-Claro. –Respondeu o outro.
-Acho que ele era um mago de cristal.
-Como é que é? –Disse Ira. –Vocês suspeitaram de alguém e não me contaram nada?
-Não tínhamos certeza. –Respondeu Shin.
-Seja como for. –Disse Ruan. –Agora temos, acho que ele sequestrou Alan.
-Como é que é? –Repetiu Ira só que agora mais alterada.
-Iriamos te conta isso também. –Respondeu Shin. –Nós achamos que ele force um dos magos também, e era isso que discutimos ontem.
-Seja como for, aquele cara nos ouviu, e se eu estiver certo, ele está por trás do desaparecimento de Alan.
-Não, não, não, ele não. –Castiel começou a falar.
-Você o conhecia? –Ruan perguntou.
-Acho que esqueci de te falar, a Castiel é...
Shin foi interrompido por um cascudo dado pela garota.
-Isso não vem ao caso agora, temos que encontra-lo.
Com a mão na cabeça Jiho disse.
-Como, se até agora não havíamos identificado outro mago, como iremos encontra um mago especifico. E eu já mandei você parar de me bater na cabeça, ela será meu ganha pão.
Ira revirou os olhos em resposta, fazendo o outro garoto rir de leve.
-Bom. –Disse Johan. –Se os cristais estão encantados pela necessidade de se unirem, creio que ficará fácil de encontra pelo outro garoto.
-Um feitiço de localização. –Disse Ira. –Mas isso só irá funcionar se ele tiver de fato um dos cristais.
-Só á um jeito de descobrir. –Disse o garoto de olhos verdes. –Shin, você sabe como se faz o rito?
-Claro! A pedra, por favor.
-Você já está com ela ameba falante. –Disse Ira impaciente.
-Há é! –Após limpar sua mesa, ele colocou o ruby no centro dela e disse. - Careless, careless. Shoot anonymous, anonymous. Heartless, mindless. No one who care about me?
Shin foi interrompido com mais um cascudo.
-Dá  para você parar de cantar as musicas de EXO e leva seu trabalho mais a serio, coreaninho filho de uma...
-Castiel. –Disse Ruan segurando o riso. –É melhor você fazer o rito, irei escrever o que você tem que falar, só um segundo. –Ele escreveu algo em uma folha e a entregou. –É só repeti o que ai está escrito, pensando em Alan.
Ao pega o ruby entre as mãos e dizer o que o garoto lhe avia ordenado a pedra começou a libera um fraco brilho.
-Ótimo, cada vez que nos aproximarmos mais do jovem Benson, o brilho ficará ainda mais forte. –Disse Ruan.
-Então vamos. –Disse Castiel tomando à dianteira.



III
-Está um dia lindo hoje. –Disse Alan para sir mesmo.
O pasto verde ao seu redor, um céu limpo, e um enorme lago com aguas azuis a sua frente.
Ele se deitou em meio a relva e começou a senti a luz do sol em seu rosto, era fácil para ele dormir ali, mesmo o dia estando perfeito, por algum motivo ele estava cansado e disposto a dormir ali mesmo.
-Alan? –Disse uma mulher aproximando-se dele.
-Mãe? Pai? –Disse ele se levantando. –O que vocês estão fazendo aqui.
Seu pai sorriu e disse.
-Estávamos conversando, estamos pensando em voltarmos.
Eles começaram a andar em direção ao lago, Alan estava supresso com o que estava ouvindo, ele sabia que era impossível seus pais voltarem a ter um relacionamento, aquilo tudo não podia ser verdade.
-Seu pai e eu resolvemos nossas diferenças, decidimos que deveríamos nos livrar de tudo que não nos faz bem, chega de traições e mentiras.
Alan começou a sorrir, aquilo era tudo o que ele sempre quis ouvir.
Parando próximo a agua seu pai disse admiranda sua imagem nas margens do lago.
-Mas para termos uma vida feliz e amorosa, devemos nos livrar daquilo que mais desprezamos e odiamos, aquilo que foi um erro desde o começo.
-E o que seria isso? –Perguntou o garoto.
-Você! –Disse sua mãe o empurrando dentro do lago.
Naquele momento o cansaço que sentia tomou conta de seu corpo, todo aquele sono mais as palavras ditas por sua mãe, o fizeram desistir de lutar, não valia apena, e quando estava prestes a se entregar a morte um pensamento veio a sua cabeça. Como ele foi parar naquele sítio, e onde estava seu amigo, sim seu amigo, Angel estava com problemas ele não viajaria para um sítio no meio do nada sem seu amigo.
E ao abrir os olhos ele não estava mais se afogando em um lago e sim preso a uma cadeira.
-Você acordou? –Disse o garoto de jaqueta de couro a sua frente.
-Como? Como você fez isso? Isso é Insano.
-Você não sabe mesmo quem é, não é mesmo garoto. –Alan apenas o encarou. –Enquanto você tinha seu sonho, eu vi tudo o que estava em sua cabeça, de fato você é o portador do cristal, mas não entende nada sobre magia, achei que force impossível um mortal conseguir rachar a pedra de safira, mas olhando para o lado bom, sei exatamente qual o pecado que estava selado em sua joia.
-Mas do que você está falando?
Iago começou a rir, antes que Alan pudesse perguntar alguma coisa mais, ele sentiu um forte impacto no rosto e ao fecha os olhos e reabri-lo, o garoto estava em pé a sua frente, ele havia o socado mais uma vez.
Sim, ele afora sentia a dor em seu corpo, sua cabeça, sentia o cansaço e sua garganta queimar.
-Você não consegui nem diferencia a realidade da ilusão, como você é patético. –Falou o garoto que o havia sequestrado. –Como a safira lhe escolheu como mestre, você nem sabe sobre a verdade que pertence a esse mundo. –Alan apenas o encarava em silício, não porque queria, mas porque não conseguia nem respirar direito, imagina falar. –Como eu ia lhe dizendo, sei qual pecado continha em sua joia, em seu sonho você apenas se preocupou com o bem está de seu amigo, e foi isso que lhe retirou da primeira ilusão, se eu estiver correto, seu pecado é a Avareza, avareza per aqueles que você ama, por isso sofre tanto com a separação de seus pais, por isso se entregou a morte para que eles ficassem felizes, por isso convidou seu amigo para morar com você, não por preocupação por ele ter perdido a mãe, você gostou disso, se você soubesse que ele ficaria naquele estado por ter pedido a mãe, você mesmo a teria matado antes, você o que apenas para você. E aquela garota como é mesmo o nome dela, Castiel, você a ama, mas quando a vê saindo com o nerd coreano você tem vontade de mata-lo, e ao ver o garoto novo em sua escola se interessar por ela, você se sentiu acuado, já que ele é melhor nos esportes, era intrigante e misterioso, você tinha medo dela se interessar por ele, e pior. –A inveja começou a rir. –Quando você viu seu amiguinho que possui cabelos LGBT fazer amizade com tanta facilidade com o novatinho, você queria espanca-lo, sim a vaidade de fato é um pecado que você carrega desde o nascimento, isso explica o fato de seu caráter não ter mudado radicalmente com a rachadura da pedra de safira.
Com um certo esforço, e com o rosto completamente enxado Alan disse.
-Você é um demente.
Iago voltou a rir.
-Eu não sou um doente por dizer a verdade, sou até um herói, por consegui viver em mentiras.
-Mas do que você está falando?
A atenção do outro foi tomada por algo que se aproximava.
-Eles me encontraram. –Ele começou a rir novamente. –Creio que está na hora de te soltar, mas antes.



IV
-O brilho do ruby está ficando cada vez mais forte. –Disse Castiel. –Mas aqui não tem nada além de prédios mal feito e pessoas emundadas.
-Olhem direito. –Disse Ruan apontando. –Aquilo é um prédio abandonado?
Eles se entre olharam e começaram a andarem mais rápido e entram na antiga construção.
-Eu estava esperando por vocês. –Disse Alan com uma barra de ferro em mãos.
-Ele está solto, achei que alguém quando é sequestrado normalmente fica preso em uma cadeira ou no mínimo amarrado ao chão.
-Olhe direito. –Disse Ruan.
-O rosto dele?. –Shin.
-Não. –Respondeu Castiel. –Os olhos deles, estão dilatados. Ele está preso em uma ilusão.
-Morra. –Disse Alan saltando com a barra de ferro em cima da garota.
-Não o machuque. –Disse Ruan. –Ele não está em sir.
- Praesidium. –Disse Ira levantando a mão parando o outro no ar com uma barreira de proteção.
Alan impulsionou a barra contra a barreira vermelha feita no ar pela a garota e saltou para trás.
-Ira. –Disse Jiho. –Você deve liberta-lo do encanto.
-E como porra eu faço isso.
-Um beije, um beijo de amor verdadeiro é capaz de quebra qualquer maldiç..
Castiel ergueu sua mão em direção a Shin e ele saiu voando indo  de encontro com a parede.

-Não estamos em um conto de fadas seu nerd retardado, isso não é Once Upon a Time. –Disse a garota furiosa.
Alan se preparava para ir com tudo em cima dela de novo quando Ruan disse.
-Castiel, se você continua o parando de forma bruta com sua barreia, ele poderá se machucar ainda mais.
-Merda. –Disse ela. –Espera, sei exatamente o que fazer. –Ela ergueu sua mão em direção ao garoto e disse. –Selo dos sete magos. –Um simbulo vermelho surgiu sob os pés de Alan. - libertas et. –O circulo magico se quebrou e junto com ele o garoto foi ao chão.
-Você pensou rápido. –Disse Johan. –Como aprendeu esse selo?
-Minha mãe. –Disse indo em direção ao garoto caído.
Eles ouviram palmas vindo do andar de cima.
-Você está de parabéns. –Disse Iago. –Pelo que ouvir, você é a Ira, prazer, eu sou a Inveja e esse garoto que você retirou de meu encanto é a Avareza.
-Acho que quebrei meu braço. –Disse Shin se aproximando. –Quem é esse?
Castiel o bateu novamente na cabeça.
-Fica calado verme de esgoto.
Iago revirou os olhos e disse.
-Acho que você também não deve saber nada sobre o cristal branco.
Ruan o olhou rapidamente seguido por Castiel.
-O que você sabe sobre ele? –Disse os dois em uni som.
-Creio que isso não seja da conta de vocês. –Uma sombra envolveu o garoto e ele se transformou em um corvo e saiu voando, por uma janela quebrada.
-Que merda foi essa? –Disse Castiel confusa.
-Impossível, esse voou, é pertencente ao clã Raven.
-E qual o problema com isso –Disse Castiel.
Ruan a encarou e ao garoto antes de responder.
-Eles estão extintos.



V
-O que aconteceu com ele? -Perguntou Angel.
-Nós o explicaremos tudo assim que ele acordar. –Prometeu Ruan. –Castiel, Shin, vocês se importaria de ficar aqui com Alan e Angel, irei até minha casa pegar o livro, creio que iremos precisar dele para quando ele acordar.
-Claro. –Disse a garota. –Ficarei e tentarei fazer algo para curar a Bela Adormecida aqui.
-E enquanto a esse garoto. –Disse Shin.
-Não se preocupe. –Disse Ruan –Creio que ele deva saber sobre vocês, assim ele não ligará para a policia ou o hospital, irei pegar o livro e solverei tudo quando voltar.
Ruan saiu correndo pela rua e ao vê uma garotinha de longos cabelos brancos e um enorme uso de pelúcia nos braços, reduzi-o o passo, tanto por está cansado, como por uma garotinha tão jovem ter os cabelos de tal cor.
Ao passar por ele ela disse.
-Você não deveria mentir sobre quem você é para eles, um dia essa estrela em seu pulso irar desaparecer, e eles saberão a verdade, Protetor.
O corpo do garoto se congelou diante de tais palavras e ao se virar para encarar a garota, ela havia simplesmente desaparecido, como se nada não passasse de uma ilusão, um a sobra qualquer criada por sua mente.
Ao chegar a sua casa ele retirou a pulseira de seu pulso esquerdo e ficou encarando uma estrela de cor preta pintado em seu pulso.



J. Aeff

4 comentários:

  1. So pra constar que leio sim
    Gostei muito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk, fico feliz por está lendo, e principalmente que tenha gostado rs

      Excluir
  2. Respostas
    1. Hmmmm...
      Acho q você não gostou, você é minha fã numero um, sei quando mente kkkkk
      Brincadeira.
      Fico feliz que tenha gostado rsrs

      Excluir