Aviso!

Olá caro humano, seja bem-vindo ao nosso mundo sobrenatural! Se essa é sua primeira vez aqui, recomendo que comece a lê por nossa primeira história, “O Sequestro”, que pode ser facilmente encontrado se você abrir o botão da primeira geração, Detectives, que fica no menu acima. Caso você seja um de nossos fãs, tenha uma boa leitura e não esqueça de comentar, ou caso contrario, kraismos morderá todos vocês, isso se Castiel não lhe bater primeiro.

sábado, 10 de dezembro de 2016

46 - Preguiça





I
-Você tem certeza que está bem? –Ruan insistia em perguntar.
-Pela milésima vez, estou. –Respondeu Jiho.
O portal de pedra estava prestes a ser aberto quando Ruan disse.
-Elion? –O garoto encarou o outro e disse. –Alguma coisa aconteceu com ele.
-Aconteceu? Achei que sua conexão com ele lhe informasse na mesma hora, que algo estava acontecendo.
-Os cristais da caverna devem terem provocado um efeito colateral, preciso ir até ele.

-Agora? –Shin perguntou.
Rompendo o símbolo da estrela em seu pulso, e a pele de lobo surgindo ao redor de sua cintura o Protetor.
-Agora.
-O.K. –Disse Shin passando sobre seu rosto e o portal de pedra, abrindo caminho para Bruxelas. –Então eu estava correto.
-O portal está aberto para outro lugar no mundo que não seja sua casa?
-Como eu disse, eu estava correto, esse portal foi forjado por alguém sem fazer uso do meu portal, acho que minha mãe está fora de culpas agora.
Ruan o encarou e disse.
-Voltarei o mais rápido possível, prometo lhe ajudar e ajudar aos magos de cristal.
-Estarei contando com isso. –Disse Shin sorrindo para o outro que agora atravessava o portal.
Johan foi levado até antigas ruinas, aquele portal nas mãos de um mago interdimensional  seria uma brecha solta sobre o mundo, ele caminhou até uma enorme porta de madeira e ao encara-la ele disse.
-Alguém alterou as partículas moleculares da porta, a fazendo pesar algumas toneladas. –Ele ergueu os ombros se aproximou da porta e a chutou, a fazendo ricochetear na parete, chamando a atenção de todos lá dentro.
-Quem é esse moleque? –Perguntou Rapha Von Hohenfels.
-Ruan? –Disse Elion vendo o de olhos verdes se aproximar e lhe acertar um soco no rosto.



II
Uma garota de longos cabelos castanhos havia acabado de acordar, reunindo coragem e forças esticou os braços e bocejou, esfregando os olhos sentou-se na cama e ficou olhando para o nada, ela estava quase dormindo novamente se não force pelo seu despertador do celular.
Bocejando mais ainda, ela se levantou, dirigindo-se ao banheiro, onde fez suas necessidades e higiene matinal.
-Bom dia mundo. –Disse ela após sair do banheiro.
Ela foi até um aparelho de som e ao liga-lo, rock começou a tocar, e ao som daquela musica alta ela começou a pular, dança e cantar, enquanto preparava seu café.
 O cheiro de ovos e bacon se misturam ao som, aquela garota não sabia se comia ou dançava, para quem aparentava até pouco estantes está morrendo de preguiça, ela estava com muita energia.
Ao terminar de comer ela se levantou da mesa praticamente saltando, pegou um livro, uma vassoura, e no ritmo de outra musica que tocava, ela começou a dançar, varrer a casa e a lê o livro em suas mãos, tudo ao mesmo tempo, e às vezes ainda cantava alto parte da musica. “As mulheres conseguem fazer muitas coisas ao mesmo tempo, mas aquilo já era exagero”.
Sua concentração foi quebrada ao ouvir a campainha tocar, logo após baixar o volume da musica se dirigiu a porta e ao abri-la encarou um casal.
Uma garota vestida de laranja e um garoto de óculos que aparentava ser seu irmão devido à aparência, ele segurava um livro nas mãos, e foi esse livro que a chamou a atenção.
-Preguiça, a bruxa do Âmbar.
Ela sorriu e disse.
-Topázio imperial? Prefiro o azul.



III
Shin atravessou o portal, entrando em sua casa, onde deu de cara com Castiel, Alan e os demais magos com quem havia criado afinidade.
-O que vocês fazem aqui a essa hora? –Perguntou ele.
-Achei que você não vinha mais. –Disse Castiel o ignorando.
-Cadê aquele seu namorado humano? –Disse Iago.
-Meu o quê? Ruan? –Shin balançou a cabeça negativamente e disse ignorando as palavras de Inveja. –Johan teve que passar um tempo fora, que não o veremos por um bom tempo, mas o que aconteceu para vocês estarem aqui?
-O livro da verdade, foi roubado. –Disse Alan de uma vez.
-Como é que é? –Shin disse de forma incrédula.
-Gula, ou as Gulas. –Disse Angel. –Me sequestraram e tiraram ele de mim.
-E o que você estava fazendo com ele? –Shin voltou a perguntar.
-A culpa é nossa. –Disse Castiel se levantando do sofá. –Eu reunir os magos na escola, iriamos destruir a barreira que a cerca e identificar o mago que faltava, mas caímos em uma armadinha e acabamos perdendo o seu livro.
(Puta merda, o livro é de Elion, não meu, Ruan vai me matar quando descobrir). Shin pensou. (Isso se ele não morrer primeiro, já que ele pegou o livro sem a autorização de ELE).
-Mas como assim as Gulas? –Shun perguntou tentando não demostrar desespero pelo livro.
-A dois magos com o poder da Gula. –Disse Luxuria enrolando a mecha branca de seu cabelo no dedo indicador.
            -Isso é impossível, quebraria tudo o que sabemos sobre os cristais, apenas um mago pode ter o poder de um cristal. Isso é contra a existência do equilíbrio magia.
-Nossa existência já é contra o equilíbrio da magia. –Indagou Castiel.
-Temos que encontrar Gula antes que elas encontrem Preguiça e complete o livro. –Disse Luxuria.
-Creio que procurar não será problema. –Disse Vaidade com os braços cruzados olhando para a porta. –Consigo sentir a presença das Gulas e de Preguiça.
-Como? –Disse Castiel confusa.
-Desde que absolvi o espectro que estava em Paris, meus poderes vem ficando estranhos e poderosos a cada dia, e de alguma forma eu sei que Gula já encontrou Preguiça.
-Então o que estamos esperando? –Disse Alan se pondo de pé.
Antes que eles se levantassem, Violet disse.
-Esperem. Sinto uma quarta presença, e ela é maior do que qualquer outra que eu já tenha sentido.
-Como? –Perguntou Shin.
O frio tomou conta do corpo da garota de sobretudo rosa, a fazendo se arrepiar.
-Vanelly? –Luxuria disse a encarando.
Um vento gélido saiu da moca da garota de rosa, seus olhos haviam ficado lilás, e mesmo sem haver nenhum tipo de brisa dentro daquela casa, os cabelos dela começaram a dançar.
-Eu, o sinto me chamando. –Disse ela.
-Ele quem? –Perguntou Castiel.
Antes que a garota pudesse responder, um emblema emanando uma energia lilás surgi-o sobe seus pés, seu corpo foi erguido, uma força sustentava o tronco do corpo da garota no ar.
Os demais se afastaram assustados e Alan disse.
-Minha cabeça estar doendo. –Ele disse levando a mão até seu olho esquerdo.
Castiel o encarou e viu os olhos deles que antes eram escuros, possuírem um azul intenso, semelhante à cor da safira que ele carregava pendurada ao pescoço.
            -O que está acontecendo aqui? –Perguntou Angel confusos.
            -Estamos sendo chamados. –Disse Iago agora com os olhos mais verdes do que nunca.
-Por quem? –Shin questionou.
-Pelo livro. –Disse Castiel agora com os olhos vermelhos.
A atenção deles foram retomadas por Violet que agora estava sendo engolida pela luz do emblema.
-Vaidade. –Disse Luxuria se jogando em direção a garota, porém a energia que vinha do símbolo o ricocheteou.
-O que está acontecendo com ela? –Disse Iago.
-Shin? –Castiel falou olhando par o amigo.
-Aparentemente, ela está evoluindo.
Ira acertou o coreano com um soco e disse.
-Isso não é o mundo Pokémon seu idiota.
-Ele está certo. –Disse Violet chamando a atenção. –De alguma forma algo mudou.
O símbolo de energia desapareceu, mostrando Vaidade em pé onde ele estava, suas vestes haviam mudado, seu, sobretudo havia se tornado uma roupa de maga em leves tons lilás, ela usava botas e luvas, seu cabelo estava um tom mais claro, e a pigmentação de seus olhos haviam mudados definitivamente, seus olhos estavam permanentemente lilás.
Aparentemente, não apenas sua aparência havia mudado, mas todo o seu eu.
Violet, sentia seu sangue ferver, o poder corria em suas veias, seu caráter havia mudado, semelhante ao dia em que sua pedra se rompeu, ela ainda era a vaidade, mas seus sentimentos estavam mais neutros, sua mente mais aberta, e de alguma forma ela possuía poderes novos e tinha conhecimento sobre eles. Ela havia mudado por completa.
E falando em pedra, sua ametista havia tomado uma outra forma, de um cristal lapidado em forma quadrada, ela estava bruta, e com uma vasta energia emanando dela.
-Ela está... –Disse Shin a encarando.
-Gata. –Completou Luxuria tentando estabelecer o olhar, ele ainda estava um pouco tonto devido o empaqueto.
-Devemos nos preocupar sobre como eu estou depois. –Disse ela recusando o elogio dos garotos. –Preguiça precisa de nós, temos que ajuda-la antes que Gula faça algo com ela.
-Ela? –Disse Alan. –Como você sabe o sexo dela?
-Algo mudou, eu simplesmente sei. –Disse ela tomando a frente e abrindo a porta.



IV
-Vocês cometeram um erro gravíssimo, vir atrás de mim, quando eu havia acabado de acordar. –Disse Preguiça flutuando sobre o oceano.
Alex e Sam estavam a beira da praia ofegantes.
-Como você consegui voa? -Disse Sam a encarando.
-Acho que isso não é de sua conta. -Respondeu a garota.
-Ela é apenas rápida. –Disse Alex. –Não entendo por que o livro está menos de um terço revelado, o grau de poder dela não é o suficiente para revelar o restante da história.
-Eu não sei do que vocês estão falando, mas vocês não deveriam me subestimar. –Os olhos dela estavam amarelos e ao canaliza energia nas mãos, ela fez as águas a baixo de sir se erguer e formarem uma armadura sobre ela, socando a mão esquerda ela disse. –Espero que o plano de saúde cubra uma surra levada por uma bruxa que domina os cinco elementos.
Alex sorriu pegando na mão de seu irmão e ao se fundirem disseram.
-Você era quem não deveria nos subestimar, somos a Gula, e nossa forme é de poder e uma mera armadura de água não será o suficiente para lhe proteger.
Em sua forma reluzente Gula avançou sobre as águas, diferente de Preguiça ela não sabia voar, mas seus poderes a fazia andar sobre as águas.
Uma luta havia se iniciado sobre o oceano, Preguiça era realmente poderosa e repita, mas mesmo com a vantagem de saber voar e a água ao redor de seu corpo ser semelhante ao aço em relação a resistência, não duraria muito se ficasse recebendo ataques diretos. Recuando ela passou a ficar na defensiva.
-Que tal começar a animar isso. –Disse Gula manifestando ainda mais energia, fazendo a água ao seu redor se afastar e avançando rapidamente em direção a garota de armadura, Gula a socou e onde seu pulso tocou fez a água se afastar deixando o corpo dela desprotegido e com um segundo golpe ela acertou Preguiça no estomago a fazendo voar para longe do horizonte e cair dentro da água, sua armadura havia sido desfeita e ela afundava oceano a dentro.
A agua ao redor de Preguiça começou a ferver, ela abriu os olhos que estava mais amarelos que antes e com um enorme impulso ela foi lançada para fora da água, chamas estavam cercando seu corpo, e aquelas emones e intensas rachadas de fogo tomaram a forma de um gigante. Preguiça estava flutuando no centro daquela criatura que aparentemente fazia os mesmos movimentos que ela, e com toda ira e força que ela tinha avançou sobre Gula que por sua vez desapareceu e reapareceu por trás dela, e de uma forma tosca acertou um chute nas costas da criatura de chamas que de alguma forma, mesmo cedo fogo puro estava solido, e a energia provocado pela aquele golpe acertou as costas de Preguiça a fazendo voar para fora das chamas que desapareceu assim que a garota saiu de seu cento, mas antes que ela mergulhasse mais uma vez dentro do oceano, fortes ventos saíram de sua mão, a parando sobre o ar, ela voltou a flutua e encarou Gula com um olhar serio.
-Ninguém nunca durou tanto tempo em uma luta contra a gente. –Disse Gula.
Ofegante preguiça respondeu.
-Vocês ainda não viram nada. –Ela passou o polegar próximo de sua boca e limpou o sangue que por ali saia.
As águas do oceano começaram a cobrir o corpo da garota mais uma vez, porem dessa vez não em forma de armadura, as águas apenas a curaram e recuperada ela disse.
-Terei que levar vocês ou você, sei lá que porra vocês são, a serio.
Chamas, vento, água e terra começaram a girar em tono da garota, e semelhante ao Caos da “Mitologia Grega” o vento era visível e poderia ser tocado, semelhante às chamas e a água que agora de alguma forma estavam sólidos. A chama ainda era chamas, mas podia ser erguida caso alguém a pegasse, a água ainda era água, mas causaria tanto dano semelhante a uma rocha se atirada em alguém.
-Quem é você garota? –Perguntou Gula observando tamanho poder.
-Meu nome é Pan, Pan Lins, bruxa do cristal da preguiça e reencarnação de Caos, Tintar Primordial, e como eu disse, vocês cometeram um erro me procurando quando eu havia acabado de acordar. –Disse ela com seus olhos sendo tomado por pura energia.
Gula começou a rir e disse.
-Vejo que diferente dos demais magos, você já nasceu bruxa, não foi transformada pelo cristal, agora vejo o tamanho de seu poder, mas não importa quem você seja, no final, conseguirei seu sangue e quando obtiver a esfera do Mago dos Cristais, retirarei seu poder, e no final só restará a mime o meu poder.
-Como se o poder insignificante da Gula pudesse superar o de um deus. –Disse Preguiça avançando em cima da criatura reluzente a sua frente.
Gula riu novamente perante as palavras da garota e desapareceu reaparecendo mais a frente.
-Esse é o livro da verdade. –Disse ambas as vozes de Gula com o livro aberto nas mãos. –O Grimórios do Lorde Original, e nenhum Bruxo que herdou o título de um deus tem poder suficiente para ir contra o de Lorde, vamos ver se você consegui ir sozinha contra esse poder Caos.
-E quem disse que ela está sozinha. –Disse Ira surgindo por trás de Preguiça.
Uma camada vermelha havia coberto parte das águas do oceano, fazendo ser possível andar sobre as águas.
-Vocês não acham que a surra que eu dei em vocês não foi o suficiente?
-E quem disse que iremos apanhar novamente? –Disse Vaidade tomando a frente.
-Quem? Quem é você? –Disse Gula sem a reconhecer.
-Sou seu pior pesadelo. –Respondeu a garota.
Violet começou a pairar sobre as águas, e ao ficar em frente à Preguiça ela começou a sugar a energia de gula, usando as mãos dessa vez. Não era mais preciso ela se aproximar para sugar com a boca, seu nível estava totalmente diferente de qualquer outro mago.
Gula tentou se afastar de Vaidade, mas não importava para onde fosse, a sua energia continuava sendo sugada, ela estava presa na rede feita pela magia de Violet.
-Que merd...
Antes que Gula terminasse sua fala, seus corpos foram separados e eles caíram dentro da agua, pois no estado normal em que agora se encontravam, não possuíam poder suficiente para ficar acima da agua.
Antes que o livro pudesse ir de encontro com a agua semelhante os dois outros magos, Iago na forma de um corvo o agarrou e o lançou nos braços de Jiho.
-Creio que o livro seja nosso. –Disse ele.
Ficando com os olhos castanhos e desfazendo a camada elementar ao seu redor Preguiça encarou os demais e disse.
-Obrigado pela a ajuda, estava quase na hora de eu dormir novamente, aproposito meu nome é Pan e foi um prazer conhece-los.
Já na praia Alan olhou para as Gulas que estavam presos em uma espécie de algema mística feita por Castiel e disse.
-O que iremos fazer com esses dois?
-Creio que posso leva-los presos para as masmorras, mas se eles estivem trabalhando para a Cúpula, creio que não vai adiantar muito. –Respondeu Shin.
-Não podemos deixa-los livres. –Disse Angel se aproximando.
Diferentes dos magos, ele foi o único que não entrou no oceano, como não possuía nenhum tipo de magia, não conseguiria andar sobre a passarela feita por Castiel.
-Eles iram nos atacar novamente se o deixarmos soltos.
-Creio que posso ajuda-los em relação a isso. –Disse Pan. –Posso faze-los dormir eternamente, isso faria que eu passasse mais tempo acordada e com energia o dia todo.
-Por favor, faça isso. –Respondeu Violet em nome de todos.
-Você não ousaria...
Pan interrompeu Alex a fazendo desmaiar, ela e seu irmão entraram literalmente em coma.
-Preguiça. –Disse Luxuria. –Você poderia nos ceder seu sague, para que posamos lê o livro que está nas mãos do coreano, gostaríamos de saber a real história sobre nossos poderes.
A garota o encarou e disse.
-Diferente de vocês, não me entenreço em saber os cristais, quero encontrar a reencarnação dos demais deuses, mas devo uma a vocês, e se posso pagar o favor com um pouco de sangue. –Ela transformou o vendo ao seu redor em uma lamina e cortou a palma de sua mão com ele. –Não vejo problema em ajuda-los com isso. –Finalizou ela derramando seu sangue sobre as paginas do livro.
O grimório absolveu o sangue, mas diferentes do que todos esperavam, apenas uma pagina foi revelada.
-Agora estou sem entender. –Disse Shin. –O livro deveria ser completado com o sangue do ultimo dos magos.
-Desculpa, mas acho que a culpa é minha. –Disse uma garota de cabelos brancos segurando um uso de pelúcia pela a orelha.
O livro desapareceu das mãos do jovem mago da tecnologia e reapareceu na mão livre da garotinha.
-Vocês deveriam segurar bem as coisas de vocês, ou acabaram as perdendo. –Disse ela com ironia.
-Quem é você. –Disse Vaidade. –A quarta presença era sua?
A garotinha sorriu e disse.
-Sou a bruxa da Perola, guardiã da esfera do mago de cristal.
-Tá de sacanagem. –Disse Iago demostrando raiva. –Quantas surpresas mais o filho da puta do Mago dos Cristais têm guardadas?
-O poder de vocês são insignificantes. –Disse ela olhando para as paginas do livro da verdade. –Não conseguiram nem preencher metade do livro.
-Quem você está dizendo que tem poderes insignificantes? -Disse Violet avançando em direção ao livro.
Porem ela caiu de joelhos a frente da garota.
-Só porque você evoluiu não quer dizer que tenha poder o suficiente para se aproximar de mim. –Disse a de cabelos brancos.
-Essa presença. –Disse Shin. –É a mesma que cobriu a cidade no dia da morte da professora de educação física.
-Como? –Disse Angel encarando a garotinha que não aparentava ter mais de oito anos.
Após arremessar Vaidade para longe movendo um único dedo ela disse.
-A humana idiota? É talvez eu esteja por trás da morte dela.
-Sua desgraçada. –Disse Angel avançando em direção a ela.
-Uma bruxa de cristal evoluída não foi capas de me deter, o que te leva a acreditar que um mero humano seria? –Disse a garota estrangulando a distancia. –Você tem os mesmos olhos que ela, deixe-me adivinhar, você é a cria daquela humana. –A pequena criatura começou a rir. –Você está fazendo a mesma cara que ela fez quando cravei a ultima estaca no coração dela. Vocês humanos são tão patéticos.
Segurando seu uso de pelúcia com uma mão, a garotinha fez o livro flutuar e ergueu sua mão livre sobre ele, a pele que cobria seu pulso se rasgou fazendo sangue cair sobre o livro.
O grimório começou a brilhar e todas as páginas foram completadas.
-Mentira. –Disse Luxuria a encarando incrédula.
-No final, somente meu sangue era necessário para revelar a história. –Disse a garota sorrindo, sumindo em seguida, junco com seu brinquedo e o livro.
Angel voltou a respirar e foi ajudado a se reerguer por Alan.
-Estávamos procurando por uma esfera, quando na verdade deveríamos ter procurado por mais um mago de Cristal. –Disse Avareza.
-Não. Ela não é de cristal. –Disse Shin.
-Ela está mais para demônio. –Disse Pan.
-No final das contas. –Começou Ira. –A esfera do mago era uma perola.
-Algo me diz que estamos ferrados. –Disse Iago por fim.
-Nem me fale. –Falou Shin suspirando profundamente.



J. Aeff

2 comentários:

  1. mdss altas surpresas agora, mas gostei bastante da preguiça e da luta contras as gulas elas se ferraram kkkk, e essa garotinha do demônio no final apareceu só pra estragar com tudo.

    ResponderExcluir