Aviso!

Olá caro humano, seja bem-vindo ao nosso mundo sobrenatural! Se essa é sua primeira vez aqui, recomendo que comece a lê por nossa primeira história, “O Sequestro”, que pode ser facilmente encontrado se você abrir o botão da primeira geração, Detectives, que fica no menu acima. Caso você seja um de nossos fãs, tenha uma boa leitura e não esqueça de comentar, ou caso contrario, kraismos morderá todos vocês, isso se Castiel não lhe bater primeiro.

sábado, 7 de janeiro de 2017

49 - um passo do fim





I
Ao ouvir leves batidas na porta Yumi se dirigiu até ela a abrindo.
-Mestre. –Disse ela se afastando e vendo Jiho, Johan e Angel entrarem. –Já estava me preocupando, já faz duas semanas desde sua ida a Bruxelas, o senhor não ligou para avisa ou algo do tipo. –Ela encarou os outros dois e disse. –Sejam bem vindos senhor Johan, senhor Angel.
Ruan a encarou e disse.
-Obrigado. –Ele se virou para o coreano e disse. –Você a programou para se preocupar com você?
-Não. –Respondeu o outro garoto. –Eu a dei inteligência artificiais, e estou desenvolvendo emoções artificiais, nada ainda concluído, mas assim que terminar, pedirei autorização a Elion, para trocar toda a ferragem dentro dela por órgãos artificiais. Isso a deixará mais leve e ágil.
-Isso seria o mesmo que dá vida a ela. –Disse Angel. –Não sei se Elion irar autorizar tal coisa.
-Angel tem ração. –Afirmou Ruan. –Brincar de Deus é um crime considerado grave para a Cúpula e...
-A Cúpula? –Disse Shin o interrompendo. –Eles são quem mais brincão de Deus, Não irei dá uma alma a ela ou algo do tipo, só irei fazer ela agir como um humano e...
-Espere. –Ruan o interrompeu e agora o encarava de forma seria. –Isso não se trata de Yumi ou de algum tipo de avanço tecnológico, você a quer trazer de volta, não é mesmo, você está usando as suas sintozóide para achar uma maneira de criar uma idêntica a Thea. Não me diga que? Ao criogenizar o corpo dela, você fez uma copia das lembranças armazenadas no consciente e no inconsciente do cérebro dela?
-Creio que não deva ouvir essa conversa. –Disse Yumi se retirando.
-Você está errado Ruan! Não pretendo trazer tia de volta, sim, eu me sinto culpado pela morte dela, mas não seria louco em violar a mente dela ou criar uma criatura semelhante a ela, isso seria o desrespeito a memoria dela, se estou fazendo estudos com órgãos artificiais é por bem da humanidade, não sou minha mãe ou o clã que só pensam em sir, não estou nem ai pro mundo da magia, se sou o que sou. Se faço o que faço é por bem da humanidade, os humanos precisam mais das minhas habilidades do que um clã egoísta, que só pensa em poder e em crescer.
-Shin? –Disse o Protetor ao vê os olhos do outro ficarem húmidos.
-Não posso fazer mais nada em relação a Thea, mas posso fazer algo a raça dela, posso ajudar aos humanos da mesma forma que a família dela ajudava.
Johan o abraçou e pode sentir as lagrimas do outro molhar o seu obro.
Angel respirou fundo e sorriu de lado e antes que pudesse sair, Shin o puxou para um abraço em trio, parando de chorar e começando a rir.
-Hann! Que nojo. –Disse Castiel entrando com Pan pela porta recém aberta por Yumi. –Não me digam que iram fazer sexo a três agora.
Shin a encarou com os olhos serrados e disse.
-Creio que você não mudou nada Ira.
-Creio que não. –Respondeu ela. –Achei que não voltaria mais, o que ele faz aqui? –Perguntou ela olhando para Ruan. –Você veio nos trair novamente?
-Ele não os traiu. –Disse Angel tomando a frente. –Ele veio estudar em Vancouver, tudo o que aconteceu depois foi a caso do destino, ele até os protegeu da Cúpula...
-Por favor, até você Angel já caiu nas garras dele? -Ela se virou e abriu a porta. –Shin os demais magos querem falar com você, e Angel, o pecado de Alan é a Avareza, ele não gosta de dividi os amigos com quem não gosta, deveria ir até ele, Pan você vem.
A outra garota a encarou e disse.
-Sim, mas preciso resolver uma coisa antes, vá na frente, te encontro na casa de Alan.
Ira a encarou e disse.
-Você que sabe. –Finalizou ela saindo e trancando a porta.
Pan se aproximou dos garotos e disse estendendo a mão.
-Johan, suponho. –O garoto segurou em silencio sua mão. –Não formos apresentados ainda, sou Pan, bruxa da Preguiça e...
-Reencarnação de Caos, sim eu sei, Shin e Angel me contaram tudo, no que posso ajuda-la? –Perguntou ele soltando a mão da garota.
-Estou procurando pelos demais deuses, e acho que você é a pessoa mais adequada para quem devo perguntar.
-Creio que seja melhor nos sentar. –Disse Shin indo para o sofá.
Os acompanhando, eles sentaram antes que ela prosseguisse.
-Creio que seja valido dizer, que não tenho nada contra você, até hoje não entendo o porque deles estarem chateados com você.
Ruan respirou fundo e disse.
-A confiança em uma amizade é tudo, e foi justamente isso que os neguei, confiança, entendo bem o porque deles estarem assim, mas irei resolver isso cedo ou tarde, agora por favor, voltemos ao seu assunto.
-Sim! Como Protetor creio que saiba algo sobre as reencarnação dos demais deuses, e o onde eu posa os encontrar.
-Sim, eu sei de muitas coisas, mas as quais bruxos com classificação de deuses você procura?
-Todos! Como Caos, tenho uma ligação com provavelmente todos.
-Creio que isso seja impossível. –Disse ele se acomodando mais ainda ao sofá. –Creio que já tenha ouvido falar no multiverso?
-Sim, Shin me falou sobre.
Ruan olhou para o teto e respirou fundo.
-Não sei dizer exatamente o que o espirito de Caos faz nessa terra. –Começou ele. –Creio que você possa encontrar algumas das reencarnações de Bruxos denominados deuses, pertencente ao Egito, aos Vikings, Japão e até mesmo as tribos indígenas espalhadas pelo mundo. Raramente encontrar um pertencente à mitologia Grega, Alemã, ou alguma outra. Eles reencenaram em uma outra terra.
-Lux, eu já sei isso, mas como posso chegar até lá, creio que você saiba.
-Somente duas pessoas nessa terra podem abrir um portal para lá, Elion, o nosso regente e sua melhor amiga Lucy, mas ambos estão indisponível no momento, e mesmo que não estivessem seria inútil você ir até lá?
-Por quê? Creio que eles gostariam de me vê. –Disse ela com firmeza.
-Disso não duvido, o problema é que todos com exceção de dois, estão mortos.
-O quê? –Disse ela confusa.
-Essa não é a única terra que tem conflitos e guerras, a alguns anos, Lux lutou a mais poderosa e violenta batalha, perdendo mais de noventa por cento de seu exército, perdendo até mesmo os lideres de cada reino de lá.
Pan ficou um tempo refletindo de cabeça baixa, ela passou parte da vida procurando por uma antiga família a muito já esquecido, e quando ela achava que estava chegando perto de encontra-los, descobri que todos já estão mortos.
-Você disse que apenas dois desses deuses estão vivos. –Disse ela. –Quais são?
-Zeus e Hera. –Respondeu ele.
Ela o encarou e disse.
-Então...
-Fora de questão. –Disse ele sabendo o que ela falaria. –Mesmo que você chegue até Lux que acho isso pouco provável, você não chegaria até esses dois, nem mesmo o atual rei de lá, que aproposito é filho desses dois, sabe ao certo onde eles estão, eles podem está em qualquer lugar do multiverso, ou simplesmente não está no multiverso, nem sabemos se eles estão nesse plano, e mesmo você sendo reencarnação de um bruxo poderoso, jamais teria poder para ir até eles, creio que nem mesmo o próprio Elion tenha.
Antes que Pan pudesse dizer algo, alguém bateu na porta e mais uma vez ela foi aberta pela garota artificial.
-Policia do Maine, fui informado que o senhor Johan estaria aqui.
Ruan se levantou e foi em direção a porta.
-Sou eu, no que posso ajuda-lo? –Perguntou o garoto.
-Senhor Johan? –Disse o oficial confuso. –Você é apenas uma criança?
Ruan serrou os olhos e disse o encarando.
-No que posso ajuda-lo?
-Bom. –Mesmo sem entender muita coisa ele disse. –Uma mulher foi encontrada morta e meu superior me informou que você seria a pessoa mais indicada para o caso.
-E quem seria seu superior? FBI, CIA?
-O Presidente.                                      
Ruan olhou para Shin que se aproximava e voltou a falar.
-E no que posso ser útil?
-Queira me acompanha. –Disse o oficial indo em direção a viatura.
Ruan seguido por Shin entraram no carro e viram o oficial dando partida, o mais novo olhou ao seu redor tentando adivinhar em qual cidade estava, mas ele possuía muitos portais, e as vezes se tornava impossível saber onde estavam sem perguntar, e fazer isso sem levantar suspeitas era impossível.
O policial parou o a viatura no que parecia ser um teatro e disse.
-Queiram me segui.
Os dois jovens entraram naquela construção e após andarem um pouco se deparam com um enorme palco, de fato eles estavam dentro de um teatro.
-O corpo foi encontrado hoje pela manhã, tenho muita informação sobre o caso, apenas fui informado que não pertencia a minha jurisdição e fui designado a lhe procurar, só tenho autorização para falar isso, agora se me derem licença. –O oficial disse se retirando deixando os dois a sós com o cadáver sobre o palco.
-O que ele quis dizer com não é da jurisdição dele? –Perguntou Shin quando estava a sós com Ruan.
-Quer dizer que a pessoa encontrada morta é um bruxo.
-Claro, eles não se envolve nos assuntos dos bruxos, mas pedem nossa ajuda sempre que precisam. –Shin disse olhando para uma cabeça arrancada. –Céus.
Os braços e pernas, estavam arrancados do corpo, juntamente com a cabeça.
-Shin? Você pode.
-Claro. –Disse o outo pegando um dos braços. –Devido a distancia em que cada parte do corpo está, indica que eles foram lançados, observando como o sangue estar espalhado sobre o palco, creio que ele foi jogado na mesma hora em que foi arrancado.
Ruan coletou todos os membros os colocando um próximo ao outro.
-A forma como cada membro foi arrancado, são estranhos. –Johan falou se abaixando próximo ao cadáver.
-Não, não são. –Disse Shin fazendo o mesmo segurando um dos braços. –A forma como a carne e os ossos estão, indica que cada membro foi arrancado a força, e a maneira como o sangue está, isso foi feito com o bruxo ainda vivo, e suponho que ele estava consciente.
-Arrancar os membros a força, isso seria insano.
-Ruan, veja esse outro braço, acredito que esse cara foi chegado com muita força pelo braço direito, enquanto os demais membros foram arrancados, a força colocada para segurá-lo foi tão grande que esmagou os ossos dele. –Dizia Shin pegando o outro braço.
Os olhos de Shin estavam vibrando da mesma forma quando o garoto usa rapidamente um computador os qualquer objeto eletrônico.
Shin colocou o braço de volta no chão e apontou para a cabeça.
-A forma como o maxilar dele estar, o rosto sujo de o que me parece uma mistura de sangue com lacrimas, me faz deduzi que ele estava vivo e consciente no momento em que foi esquartejado.
-Shin. –Disse Ruan se levantando. –Sei que você não consegui sentir com clareza, mas a uma mistura de energia no ambiente, significando assim que esse cara foi morto por um outro bruxo, e não existe bruxo com força sobre humana, e creio que nenhum mago de primeira classe perderia tempo invocando um demônio para esquarteja-lo, quando seria mais fácil simplesmente remover a alma dele.
-Nesse caso temos duas hipóteses. –Disse o outro se levantando. –Primeiro, ou estamos lidando com um bruxo meramente dramático que gosta acha que fazer isso seria o mesmo de trabalhar em uma obra de artes, ou segundo, o bruxo que fez isso fez a mesma coisa que eu.
-Perdão? –Disse o de olhos verdes sem entender.
-Eu me recusei a aprender magia de primeira classe quando criança. Então direcionei toda energia ao meu cérebro, e com o tempo fui aprimorando minhas habilidades até conseguir usa-lo cem por cento, me tornando o gênio que sou hoje, a pondo de vê tudo o que aconteceu há horas apenas observando o ambiente ou criar uma arma nuclear do tamanho de um inseto. E se eu não fui o único a fazer isso, digo a direcionar a energia para um lugar especifico. E se o bruxo responsável por esse crime...
-Direcionou sua energia para os músculos e a aprimorou com o tempo. –Disse Ruan completando as palavras do outro.
-Creio que estamos lidando com um mostro. –Disse o Shin.
–Espere, você está sentindo isso? –Ruan perguntou.
-Não. -Respondeu o outro.
Os olhos de Ruan estavam semelhantes a de um lobo, a energia maligna que carregava aquele lugar estava visível a Johan em forma de nevoa vermelha.
-A energia está sendo absolvida. –Ele olhou em direção para o lugar aonde ela estava indo e viu uma mulher de mascara no centro da nevoa. –Não pode ser.
Toda a nevoa que o garoto estava vendo entrou em uma pedra que a mulher a sua frente segurava.
-Selenita branca é perfeita para se fazer selamentos. –Disse uma voz feminina abafada pela mascara de porcelana.
-Ruan, você a conhece? –Shin perguntou com medo, de alguma forma a presença daquela mulher o causava calafrios.
-Essa é a mesma mulher que matou a senhora Smith, Creio que depois de David, ela é a bruxa mais procurada pela Cúpula.
Aquela bruxa usava o que lembrava uma roupa medieval cores vivas, sua pele era pálida seu rosto estava coberto uma mascara antiga de porcelana, seus cabelos eram lisos e leves, semelhantes a fios de ouro que se movimentaram com um simples passo dado por ela.
-Não se aproxime. –Disse Johan com uma voz grave.
Mesmo não sentindo com clareza o qual grande é a presença de outro mago, ele percebeu pela entonação da voz de seu amigo que ela era tão poderosa, feito ele.
Uma risada abafada saiu da mascarar.
-Ruan Johan. –Disse ela. –Você percebeu não foi mesmo?
O garoto encarava a pedra na mão dela.
-Ruan, do que ela está falando?
-A selenita, não contem apenas a energia dessa morte, mas de varias outras, ela está coletando a energia gerada por mortes trágicas.
Mais uma risada ecoou através da mascara.
-O que você está planejando bruxa? –O garoto com olhos de lobo disse.
-Achei que fosse obvio, quero mata o seu o nosso regente.
-Como ousa. –Disse ele com raiva. –Não deixarei você sai daqui com vida. –As vestes de Ruan mudaram, ele agora possuía a pele de lobo presa a sua cintura, suas unhas viraram garras e seu corpo havia adquirido uma nova postura, semelhante a um predador perto de atacar sua preza. –Shin, saia daqui agora. –Disse ele entre os dentes.
O garoto começou a correr em direção à saída dos fundos, mas antes de sair tirou rapidamente uma foto da cabeça solta ao chão.
Mesmo sem vê o rosto daquela bruxa, Ruan sabia que ela estava sorrindo.
A pedra que ela segurava desapareceu suas mãos ficaram caídas e relaxadas, como se ela dissesse pode vir garoto.



II
-Angel? Achei que não voltaria mais. –Disse Alan ao vê o amigo.
-Vocês não vão acreditar, eu conheci Elion, e cara, ele é muito foda.
-Sei. –Disse Iago se aproximando. –E o que vocês fizeram essas duas semanas, suponho que não as tenha passado apenas falando com ele.
-Não, você tem razão, depois da festa de aniversario ele sumiu, Ruan apresentou Shin e a me a alguns de seus amigos e...
-Chega. –Disse Alan. –Aquele cara é um mentiroso, ele disse que era um humano que estudava sobre magia, quando na verdade ele estava nos estudando.
-Isso não é verdade. –Angel começou a defender o outro. –Ele nunca traiu ninguém, o fato dele não ter contado nada foi porque vocês o olhariam de forma diferente e talvez não permitisse que ele se aproximasse.
-Fala serio Angel, eu fui sequestrado mais de uma vez, ele poderia ter me regatado com muita facilidade, poderia ter acabado com todos os espectros de uma única vez, e assim aquela garota Thea não teria morrido, e principalmente, sua mãe também estaria viva.
-A vida é feita de escolhas. –Disse Pan ficando ao lado do de cabelos coloridos. –Ruan fez as dele e terá que carregar o fado das consequências para o resto da vida, essa Thea não era apena amiga de Shin, mas dele também. Ficar remoendo o passado não nos levará a nada. E você Avareza não pode escolher com quem Angel faz ou deixa de fazer amizade, ele não é seu brinquedinho para que você o der ordem.
-Como ousa. –Disse ele emanando energia.
Violet surgiu no meio dos dois e disse.
-Parem com isso agora, temos coisas maiores para lhe darmos, não devermos nos dá ao luxo de perder tempo brigando por coisas vans, Alan Controle seu temperamento e Pan, não provoque o lado obscuro da joia de Alan.
- Vanelly tem razão.
Vaidade desapareceu reaparecendo sobre o ar a cima Lance o acertando um sute no rosto que o lançou alguns metros sobre o chão.
-Caralho, eu já disse meu nome é Violet.
-E depois a Ira sou eu. –Disse Castiel ao sentada na varanda da casa, observando de longe.
Inveja revirou os olhos e disse indo em direção a casa.
-Tenho mais o que fazer. Fação o que quiserem.



III
-Você quase o matou. –Disse uma jovem alta e forte se aproximando da de mascarar.
-Essa era minha intenção. –Disse a de cabelos dourados.
-Contenha-se minha senhora, não queremos que ELE venha atrás de nós antes do esperado.
-Você tem razão minha cara sacerdotisa. E as demais onde estão?
-Elas terminaram de reunir tudo que nos foi ordenado e estão lhe aguardando em vossa casa.
Energia em forma de espiral cercou as duas e as fizeram desaparecer, as duas agora estavam na presença de mais onze garotas.
Shin entrou no teatro vendo Ruan caído correu em sua direção colocando a cabeça dele em seu colo.
-Merda. –Disse ele pegando um frasco com algum tipo de poção dento e o destampou derramando um liquido azul com dourado dentro da boca do garoto logo o fazendo a corda e se levantar com um salto.
-Não faça mais esforço. –Disse Shin para ele. –Não sei o porque de você ainda está vivo, mas ela te derrotou feio meu amigo.
-O que você me deu? –Disse ele levando a mão para a boca. –Tem um gosto extremamente doce. –Ao olhar para suas mãos ele viu seus ferimentos sendo curados.
-Essa é uma versão barata do néctar dos deuses, não lhe dará imortalidade ou uma vida longa, mas foi o suficiente para salvar a sua vida, agora me diga, pelos poderes usados por ela, deu para reconhecer sua intensidade?
-Não. –disse o outro baixando a cabeça.
-Como assim Ruan, todos os magos e criaturas magicas tem um registro especifico na sede do clã, ela era uma bruxa poderosa, provavelmente pertence ao Clã do Sol e da Lua.
-Esse não é o problema, a questão é que ela me atacou tão rápido que foi impossível saber que magia ela usou, ou até mesmo de prever que eu estava sendo atacado.
-Isso é impossível, você é o Protetor.
Respirando fundo ele disse.
-Não sei quem ela é, mas seja quem for, é uma enorme ameaça ao jovem mestre e ao mundo da magia.
...


Diante das doze garotas que a cercava a de cabelos dourados retirou sua mascara e com um leve sorriso disse.
-Estamos a um passo do fim.
Ela caminhou para o centro do circulo formado pelas aquelas doze vestidas de branco. E ao soltar a mascara no chão ela abriu os braços, os olhos azuis daquela que até então estavam corbertos, ficaram brancos, sua boca de abriu sugando a alma das doze ali presentes para sir.
As garotas caíram mortas jazendo sobre o chão, suas almas entraram na boca da bruxa loira que agora estava ainda mais jovem e bela e agora lançou a mascara de porcelana em uma antiga mesa de madeira e disse.
-As vidas de vocês não foram em vão, usarei seus poderes minhas caras e tornarei esse mundo um lugar melhor. –Como uma leve risada ela disse. –Será um lugar melhor ao menos para mim.
Com um movimento de sua mão, uma sombra envolveu os corpos que desapareceram em seguida.
Empunhando a adaga que um dia matou um deus ela disse.
-Um dia meu jovem Elion, você será meu. –Ela podia ver a face do garoto refletida na lamina daquela adaga.



J. Aeff

2 comentários:

  1. tadinha da Pan o seu projeto de encontrar a sua família foi pro béleleu, vem cá e essa doida da mascara que quase matou o Ru quem ela pensa que é a rainha da sedução pra dizer - Um dia meu jovem Elion, você será meu.- ela ta só se achando ultima bruxinha do universo viu. ameii a historia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Vai ter muita coisa envolvendo a coitada da Pan.
      Essa bruxa é bem fodinha kkk, derrotar o Protetor como se não foce nada.
      enfim
      é esperar pra vê no que vai dá.

      Excluir