Aviso!

Olá caro humano, seja bem-vindo ao nosso mundo sobrenatural! Se essa é sua primeira vez aqui, recomendo que comece a lê por nossa primeira história, “O Sequestro”, que pode ser facilmente encontrado se você abrir o botão da primeira geração, Detectives, que fica no menu acima. Caso você seja um de nossos fãs, tenha uma boa leitura e não esqueça de comentar, ou caso contrario, kraismos morderá todos vocês, isso se Castiel não lhe bater primeiro.

sábado, 28 de janeiro de 2017

51 - O Espelho

 



No dia da acessão:

Elion havia acabado de entrar no salão de festas de Felipe quando seus amigos gritaram “Surpresa”, apesar de toda correria que foi aquele dia, eles deram o máximo, para organizar toda aquela festa, e depois da confusão e da rebelião, deixa a festa de lado e desperdiça toda aquela comida era no mínimo uma blasfêmia.
-Eu não acredito que vocês se deram ao trabalho. –Disse Elion boquiaberto olhando todo o lugar.
Após beber dois copos de bebida na velocidade da luz, Natallie disse gritando correndo em direção ao palco.
-Adivinha quem vai cantar.
Elion olhou para ou outros e antes que pudesse fala algo Rapha rebateu.
-Ela nos ameaçou com uma foice, não tivermos opção.
Ele começou a rir.
Lucy se aproximou e disse:
-Elion?
Já sabendo do que se tratava ele apenas a encarou com um leve sorriso em resposta.
-Ele está levando tudo o que aconteceu na boa. –Disse Gui no outro lado do salão.
-Se preocupa não o levará a nada. –Respondeu Edgar. –Mas seja como for, creio que ele tenha um plano, digo, por quer ele não matou a todos no momento da rebelião, por que ele os deixou irem?
-Porque o que está acontecendo é mais complicado do que parece. –Disse Ed com sigo mesmo.
-Do que você está falando Ed? –Perguntou Gui o encarando.
-Esse não é o momento de discutirmos. –Disse Felipe se aproximando. –Aproveitem a festa, pensaremos nisso outra hora.
Eles pararam de conversar, o som da voz de Swan tomou todo o lugar.
Ela começou a cantar em francês.



Non, non. Non, non, non.
Si vous pensez que vous allez me détruire
Ou mon cœur blessé.
Non, non. Non, non, non.
Je ne suis pas comme les autres filles;
Je ne suis pas un simple jeu.
Non, non. Non, non, non.
Je ne suis pas comme les autres filles;
Chérie, je suis le joueur.

(Não, não. Não, não, não.
Se você acha que vai me destrói
Ou meu coração ferir.
Não, não. Não, não, não.
Não sou como as outras garotas;
Não sou um mero jogo.
Não, não. Não, não, não.
Não sou como as outras garotas;
Querido, eu sou a jogadora.)



Uma onda de gritos invadiu o ambiente.
Os ali presentes estavam amando a performance da garota em cima do palco.



Passion, amour, ne sont que ilusos
Sont jouets dans mes mains.
Et si vous voulez jouer avec moi
Je remarque qu'il ne fournira pas
Votre vie va détruire,
Vos vêtements brûleront
Et avec sa tête mon amour
Je vais jouer!

(Paixão, amor, são meras ilusos
São brinquedos em minhas mãos.
E se comigo você quer brincar
Lhe aviso que não vai prestar
Sua vida vou destruí,
Suas roupas irei queimar
E com sua cabeça meu amor
Eu vou brincar!)




Elion sentiu uma mão em seu obro e ao se virar sorriu ao vê Shin.
-Shin. –Disse ele o abraçando. –A quanto tempo cara.
-A ultima vez que nos virmos, você havia acabado de conhecer um dos chefes do Yakuza
Elion riu e disse.
-Aquele dia foi muito louco.
-Verdade, vocês estavam atrás do Bebê.
-O my God. –Elion e Ruan falaram ao mesmo tempo. –Cadê o Bebê?
Angel se aproximou e ficou encarando os três conversando quando o aniversariante o encarou.
-E você, quem é. –Elion se aproximou pegando em sua mão.
Ficando vermelho Angel respondeu gaguejando.
-E-eu, s-sou, é, B-bom.
-Seu nome é Angel. –Disse Shin por fim. –Espero que não se importe, mas o trouxe comigo.
Elion o abraçou deixando a criatura ainda mais vermelha.
-Então vamos aproveitar e cai na pista de dança. –Desse ele levando os outros três.
Musica alta, bebida e é claro, comida, eram sinônimos para aquela noite.
-Elion. –Disse Lucy se aproximando. –Adivinha quem está aqui.
Ao olhar em direção a garota ele deu um largo sorriso e disse correndo em sua direção.
-Satch...
*
*
*
-Elion? –Disse Ed se aproximando do garoto sentado na grade de proteção do teto da casa dos Mestres dos Brinquedos. –Cara sai dai, odeio alturas.
O outro apenas o encarou em silencio.
-Elion, as vezes eu acho que você é bipolar, você estava tão feliz a menos de dez minutos e agora está assim, com cara de depressivo e sozinho.
-Só porque alguém esta rindo não queira dizer que esteja feliz. –Ele olhou para as estrelas e disse. –Um palhaço está sempre sorrindo, mas a verdade é que ninguém se perguntou o que há por trás de toda aquela maquiagem, ninguém se importa com alguém que está sorriso, para perceber que por trás de um lago sorriso se esconde uma dor mais larga ainda.
-Tem haver com o que aconteceu hoje?
-Também. –Respondeu ele agora olhando para seu pulso. –Em parte David estar certo, a uma antiga profecia que diz que, quando uma criatura de determinada nível de grandeza assumir uma posição mais baixa ou mais alta, um grande mal cairá sobre aquela terra.
-Um anjo, assumiu uma posição baixa, sendo líder do mundo da magia. –Disse o outro em voz alta, ainda mantendo distancia da beirada.
-Mas não iremos falar sobre isso. –Disse o outro descendo da grade de proteção ficando em pé e encarando o mais baixo. –Não era sobre isso que você veio falar era?
-Não. –Respondeu Ed. –Vir te avisa que estou indo com Satch.
-Como? por quê?
-Ele disse que onde mora, tem um lugar chamado de Templo de Cronos, onde o tempo passa de forma diferente se comparado aqui, e disse também, que os senhores desse templo poderiam me deixar mais forte, e assim eu poderia lhe ajudar melhor com tudo o que está acontecendo aqui. Mas só irei se não tiver nenhum problema para você.
O outro sorriu e disse em resposta:
-Claro que não tem problema, faça como quiser. –Em seguida ele se virou e voltou a encarar as estrelas.


II
Dias atuais.

Um portal se abriu em meio a sala de está dos Mestres dos Brinquedos e Ed saiu de dentro, se deparando com um ambiente silencioso e escuro.
De repente as luzes se ascenderam e uma (mulher) boneca de madeira surgiu.
-Seja bem vindo senhor. –Disse ela com uma voz metálica.
-Onde estão a todos? –Perguntou ele.
Ed estava diferente, seu corpo possuía uma nova postura, seu cabelo estava com um corte diferente, algo que agora o caia bem. Seu estilo de roupa havia mudado, sem contar que agora estava fisicamente mais forte.
-O mestre Felipe, está na sede do clã, senhor.
-E quanto a Elion? –Ele voltou a perguntar.
-Lamento senhor, mas não sei lhe responder, ele não vem aqui a meses.
Após um tempo ele voltou a perguntar.
-E quanto a Lucy, Rapha e os demais.
-A senhorita Christie está com sua namorada em alguma ilha paradisíaca ao sul do Caribe, os demais voltaram a suas casas.
-O quê? Mas por quê? Eles estão em guerra.
-Não sei informar senhor, tais informações não foram passadas.
Ele respirou fundo e disse.
-O.K. Irei procura-lo por conta própria.
Ao abrir a porta para sai, ele se deparou com Johan e mais dez jovens.
-Isso é alguma execução escolar? –Disse ele irônico.
-Ed? Quando você voltou? –Perguntou o jovem lobo.
-Acabei de chegar. –Respondeu ele.
-Elion está aqui? –Perguntou Johan.
Ed encarou a ele e aos demais e disse.
-Se vocês vieram para falar com ele, creio que deram viagem perdida, ele não está aqui, e aparentemente, ninguém sabe onde ele está.
-Ruan você é o protetor, pode encontrá-lo. –Disse Shin.
O outro fechou os olhos e após um tempo disse.
-Acho que não, ou ele escondeu sua presença perfeitamente, ou não está nesse mundo.
-Não. –Disse Ed. –Ele não tem o poder de viajar entre os reinos, e não confia em ninguém para ir junto, ele está aqui e irei encontra-lo.
Ele passou pelos jovens e desapareceu em meio as ruas.
-Que Merda. –Disse Ira. –Viemos de tão longe pra nada.
-Tecnicamente, só atravessamos uma porta e andamos alguns minutos. –Disse Angel.
-Relaxem, iremos encontra-lo. –Respondeu Shin olhando na direção onde Ed foi.


III
As palavras de sua ultima conversa com a guardiã do pilar da terra vinham a sua mente.
-Elion não está aqui. –Disse Swan ao mais velho.
-Se não me engano, ele está na cidade de Londres. –Complementou Filip.
-E o que ele estaria fazendo lá? –Ele.
-Você realmente não faz ideia? –Disse a jovem por fim.
O trem onde Ed estava havia acabado de chegar à estação de Londres. O céu estava nublado, e fazia uns 9 graus celsius fora do trem.
Ele atravessou lentamente as ruas lentamente. Mesmo sem saber ao certo onde seu jovem amigo estava, seu corpo o conduzia pelas ruas, seus extintos o dizia para onde ir.
Ed acabava de entrar em um dos cemitérios da cidade quando um frio percorreu seu corpo.
-Elion? –Disse ele chamando a atenção de um jovem deitado em meio a relava daquele lugar.
Ele virou o rosto em direção à voz que o chamava, mas permaneceu em silencio.
-Elion? É você? –Ed voltou a falar se aproximando.
Ed não foi o único que mudou nos últimos meses, Elion estava diferente, ele não usava mais óculos, seu cabelo estava bem maior que o habitual, havia uma franja cobrindo seus olhos. Dava para vê claramente seus cabelos ondulados que estava mais claro que o normal, e sua orelha direita estava furada e ela cogitava um brinco de argola na cor preta.
-Você está bem? O que faz em um lugar como esse? –Ed perguntou se aproximando, mas foi impedido de prosseguir.
-Não se aproxime mais do sovem mestre. –Disse uma garota encapuzada.
O mais velho a encarou e disse.
-Havia me esquecido de você, Thamara a homúnculo que Elion ganhou de presente de Flamel em seu aniversario. Você não lembra de mim?
Removendo o capuz ela disse com a voz mais fria que o clima.
-Você é Ed Monster, o mostro que machucou o coração de meu mestre.
-Como é que é?
-Than, não gaste sua voz com ele. –Disse Elion se sentando. –Achei que você fosse passa o equivalente a um mês treinando no templo de Cronos. –Disse ele com uma voz cansada.
-Aconteceram muitas coisas e...
-Você passou meses fora. Ed, um minuto nesse mundo, é o equivalente a um ano dentro do templo, você passou milênios lá dentro, e nem sentiu minha falta, que tipo de irmão você pensa que é?
-Não foi minha intenção, eu.
-Você o quê? Se esqueceu? Achou que não era preciso? Achou errado.
-Elion. –Disse o outro respirando fundo. –Não irei pedi desculpas, sei que estou errado e que desculpas não mudaram nada, mas o que você faz aqui? –Perguntou ele olhando ao seu redor.
O outro se deitou novamente e disse:
-Foi aqui onde ele foi enterrado, antes de eu mudar o tempo e traze-lo de volta.
-Você ainda senti a falta dele? –Perguntou Ed cabisbaixo.
-O que você acha seu idiota. –Respondeu o outro se pondo de pé. –Vamos Than, voltaremos para a cede do clã.
-Espere. –Disse Ed tentando se levantar, mas as vestes da homúnculo revestiu todo o ar, e ambos desapareceram. -Merda. –Disse o outro sozinho.


IV
-Bom, creio que se esperamos aqui, hora ou outra, ele aparece. –Disse Johan quando um monte de tecido surgiu no ar e Elion saiu de dentro.
Os demais ficaram o encarando boquiabertos, ao perceber que tinha visitas Elion se aproximou de seu Protetor e disse:
-Esses são seus amigos Ruan?
-Elion. –Respondeu ele. –Esses são os magos de cristal que lhe falei.
-É um prazer lhe conhecer. –Disse alguns deles.
-Elion? –Disse Swan entrando na sala. –Achei que estivesse em Londres, seu irmão estava lhe procurando.
-Deixamos o irmão do jovem mestre lá, e voltamos. –Disse a homúnculo.
-Irmão? –Disse Johan confuso. –Achei que ele era seu namorado.
Elion o encarou com cara de nojo e disse.
-É o que?
-Tipo, soube do beijo que você o deu quando ele foi atingido pela lança, e vir o ciúmes que ele estava sentindo com seu lance com o lobisomem.
-Eca. –Elion disse com mais nojo ainda. –Eu não beijei ninguém, aquilo foi só um feitiço de cura. E ele não estava com ciúmes, como meu irmão mais velho, ele fica preocupado com o fato de quem vou me relacionar, ele não quer que eu fique com qualquer porcaria.
Ainda confuso ele disse.
-Mas, mas, Swan sempre te chama de veadinho e...
-Ora Johan. –Disse Natallie. –Eu chamo ele de veado, gay, peste, praga, gota serena, febre do rato, cão dos inferno, por que sou amiga dele.
-E por que eu lhe dei um fora. –Complementou o garoto.
Sem saber muito bem o que fazer, os magos de cristais apenas os observavam em silencio.
-Pessoal. Pessoal. –Angel começou a falar. –Pessoal!!!
Elion o encarou e disse:
-Oi, an, desculpa acabei me esquecendo de vocês, no que posso ajudar?
-Gostaríamos de saber se o senhor pode nos falar algo sobre o Mago dos Cristais. –Disse Castiel.
-An, isso, bom. Não sei nada sobre ele, ao menos não mais que vocês.
-Mas e seu livro? –Perguntou Alan. –Digo, o Livro da verdade, Teria como nos deixar lê?
Com um olhar calmo ele respondeu:
-Olhem. –O livro apareceu d nada nas mãos de Elion. –Esse livro tem varias utilidades, porem quando o toco, ele é zerado. –Ele abriu o livro mostrando as paginas em branco aos garotos.
-Puta merda. –Disse Castiel passando as mãos nos cabelos.
-Creio que se vocês colocarem seus sangue, só poderiam lê aquilo que já viram anteriormente.
-Mas o senhor é o todo poderoso do mundo da magia, não teria como obrigar a neta de Agatha a colocar o sangue ai? –Perguntou Iago.
-Meu dever é apenas manter o equilíbrio entre os mundos. Realmente posso mandar e desmandar no Clã do Sol e da Lua, mas ela é uma bruxa solitária, mesmo sendo neta de alguém da Cúpula, não a posso simplesmente a mandar alimentar meu livro.
-Isso significa que viemos aqui a toa. –Violet tomou as palavras de Castiel.
-Senhor. –Disse Pan. –E em relação as reencarnações dos deuses, o senhor poderia me contar alguma coisa?
-Você deve ser a Pan, reencarnação de Caos. –Elion dizia a encarando. –Posso fazer melhor que falar sobre eles, posso te levar até eles, se quiser.
Ela se pois de pé e disse:
-Eu adoraria e...
Rindo Elion a interrompeu.
-Mas tudo em seu tempo, tenho algumas coisas para resolver agora, por favor, se alojem em um dos hotéis da Cúpula, falarei com vocês o mais breve possível, e não se preocupem, verei o que posso fazer sobre suas duvidas, agora se me dão licença.
Ele saiu os deixando para trás.
Shin apenas o encarava pensativo ao olhar para os outros ele viu que Swan e a homúnculo não estavam mais lá.
-Ruan. –Disse ele.
-Eu percebi. –Respondeu o outro.
-Do que vocês estão falando? –Perguntou San.
-Nada. –Disse Johan quebrando o clima. –Vamos, vocês vão amar as mordomias que temos no clã.
*
*
*
Elion estava em algum lugar no subterrâneo daquela construção. Aquela sala era feita de pedras antigas, havia um altar com algo coberto com um pano preto, e todo o ambiente estava sendo iluminado por torças.
-Por que você mentiu para eles? –Disse a voz de uma garotinha próxima a uma das paredes.
-Ivy. –Disse Elion olhando para a garotinha de cabelos brancos. –É melhor que eles não saibam da verdade ainda.
-Mas aquele de cabelos coloridos ainda acha que eu sou a responsável pela morte aquela humana que ele chama de mãe. –Disse Perola se lembrando do que aconteceu naquela tarde.
Uma sombra que emanava uma forte energia maligna sobrevoava a cidade, ela a desseguiu até a escola, lugar a qual a sombra se sentiu atraída pela energia emanada pela barreira de proteção, e então começaram a lutar, e foi ai onde a mãe de Angel apareceu, e em uma tentativa frustrada de proteger uma criança foi atingida por farias estacas de carbono feito pela criatura sombria, após a fuga da criatura, Ivy a viu agonizando, se engasgando com o próprio sangue, então pegou uma das estacas que estava sobre o chão e enfiou no coração da professora de educação física, a libertando de sua agonia.
-Seja como for. –Disse Elion movimento seus olhos para o outro lada da sala. –Eles não entenderiam o que aconteceu, na verdade, nem eu entendo ao certo, agora Ivy vá, tenho um outro assunto para resolver.
Após a garota ser engolida por sombras, Elion disse:
-A quanto tempo estar ai?
-Tempo o suficiente. –Respondeu Ed.
-Achei que estivesse em Londres. –Disse o outro. –Como chegou aqui tão rápido?
-Não é de sua conta. –Ed respondeu seco. –O que você está tramando? Anda mentindo agora?
Elion serrou os olhos e disse:
-Você não é o Ed. Ele chamais falaria assim comigo.
Como uma televisão dando problemas na imagem, a figura do irmão de Elion se desfez mostrando a face de Shin.
-Não esperaria menos do Lorde da magia. –Disse ele. –Agora por que não me diz o que realmente está acontecendo?
-Shin Jiho, o que eu faço ou deixo de fazer não é de sua conta.
-É dos meus amigos que estamos falando.
Elion o segurou pelo pescoço e disse.
-E para mantê-los seguros, você permanecera com essa sua boca, calado. –Ele o jogou no chão e disse aos cristos. –Guardas. –Soldados vestidos com os mesmos oniformes dos seguranças de Agatha surgiram. –Tirem ele daqui e o leve até o hotel onde seus amigos estão hospedados.
Sendo arrastado o coreano disse.
-Elion, esse não é você, o que está acontecendo Elion... –O som de sua voz foi abafado quando a porta foi fechada, deixando assim o garoto em meio a um silencio absoluto.
Elion caminhou até o altar e ao puxar o tecido preto, viu sua imagem refletida em um enorme espelho de bronze.


J. Aeff

2 comentários:

  1. mdsss o que houve com o Elion? esta tão mudado a falta do irmão dele por perto mexeu mais ainda com ele, mega ansiosa pra saber o que esse novo ele é capaz de fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. heuehuehueueheu

      ele mudou muito realmente, continue lendo e se depreendendo.

      Excluir