Aviso!

Olá caro humano, seja bem-vindo ao nosso mundo sobrenatural! Se essa é sua primeira vez aqui, recomendo que comece a lê por nossa primeira história, “O Sequestro”, que pode ser facilmente encontrado se você abrir o botão da primeira geração, Detectives, que fica no menu acima. Caso você seja um de nossos fãs, tenha uma boa leitura e não esqueça de comentar, ou caso contrario, kraismos morderá todos vocês, isso se Castiel não lhe bater primeiro.

domingo, 12 de novembro de 2017

62 - Os Sete Generais




A vida é uma caixa de surpresas criada pelo Destino, e apenas aqueles corajosos o suficientes para quebrar essa caixa e mesmo assim permanecerem vivos e sãos. São dignos de serem chamados de lenda.
(J. Aeff)




I
Andando lentamente pelos corredores do palácio de do reino de Avalon, ele olhou para trás e ao verificar que não estava sendo seguido acelerou os passos, e antes que pudesse perceber estava correndo e deslizando em meio os corredores. Ao entrar no que parecia ser uma sala, avistou alguns livros antigos, ao se aproximar, pegou um e ao foliar viu uma pagina em branco, a arrancou e disse;
-Como não tenho caneta, vou ter que improvisar. –Ele cortou o polegar da mão direita e com seu sangue escreveu algo no papel. –Não gosto muito dela, mas essa é a única forma de contata-la. –Disse se aproximando de uma lareira, e após mexer sua mão sobre ela a acendeu. Gui contemplou as chamas por um curto período de tempo, amassou a folha de papel fazendo meio que uma bola com ela a atirando no fogo em seguida.
-Então você está aqui. –Disse Alckmin ao se aproximar. –Venha, lhe mostrarei onde irar trabalhar.
Guilherme apenas concordou com a cabeça e seguiu o outro, ele pode ver ao chegar em uma determinada área do castelo, que não era apenas dois dos Guardiões elementares e o casal de bruxos que vivia ali, aparentemente o palácio estava lotado,alguns bruxos que se levantaram no dia da Ascensão de Elion estavam lá, e haviam alguns outros de clãs inferiores, porém com poderes notáveis.
-(Acho que eu deveria ter visto isso antes de ter escrito a carta). –Pensou Gui.



II
-Não faço ideia como os poderes dos cristais funcionam. –Começou Swan. –Mas dada as circunstancias, e suas habilidades, creio que que se tonará uma grande ceifadora Violet.
-Isso é uma coisa boa? Sei lá, não me parece nada elegante e dentro da moda.
-Violet. –Disse Katherine. –A casa dos Ceifadores é uma das dez casas que estão no poder  atualmente e é uma das únicas casas que fazem uso de armas magicas em todo o clã e mundo magico.
-Armada e estilosa, gostei da ideia.
-Enquanto a nós dois? –Perguntou Lance.
-Irei trabalhar o elemento fogo com vocês. –Disse Katherine. –Alan, creio que dado o seu poder, você conseguira manipular bem os cinco elementos, Lance, irei trabalhar as chamas com você e dependendo de seu desempenho, Swan lhe ensinará um pouco sobre a magia ceifadora.
-E eu vou ficar aqui vendo tudo, quero vê o sangue de vocês caírem. –Disse Héstia se sentando em cima de uma rocha.
Eles estavam no que parecia ser um bosque ou floresta, certamente não estavam mais na Bélgica.
Após um tempo de explicações Katherine disse:
-Agora, por favor, sintam a energia ao redor de vocês, não tentem toma-la para si, ou deixar essa energia mais forte, apenas una a energia de vocês com a da natureza e se tonem a própria chama, quando vocês conseguirem fazer isso, seus poderes iram ficar mais amplo, e conseguiram acender o pentagrama. –Cada um dos garotos estavam em pé em um pentagrama em meio a um circulo. –Esse pentagrama foi iniciado para se conectar ao espirito do fogo, isso irar facilitar a vida de vocês. Então, boa sorte.
Com os olhos fechados, os dois garotos tentaram se concentrar, mas ao sentir o vento bater em seu corpo Alan disse:
-Creio que seria mais fácil nos concentramos se estivéssemos vestidos.
Os dois estavam apenas de cueca.
-E qual é a graça que isso teria? –Disse Swan os observando. –Além do mais, vocês tem que aprender a se concentrar no frio, no calor, em lugares barulhentos, ou caso contrario ter o poder que vocês tem seria um desperdício, e claro que se vocês não estivessem apenas de cueca, eu não estaria a apreciar essas visões dos deuses.
Alan havia crescido um pouco desde que descobriu que era um mago, seu cabelo estava cortado em um estilo social, seu corpo tinha mais formas que antes, dado que ele estava a treinar com os outros magos e levando em consideração o fato dele ter sido um atleta em sua antiga escola. Seus olhos agora azuis safiras de destacavam bem em sua pele pálida e definida.
Já Lance, não havia mudado muito, com exceção do cabelo e dos olhos que estava dá cor do céu em dia de sol, e de seu cabelo castanho, que estavam cortados em forma degrade com um mecha branca em destaque, seu corpo ainda permanecia em forma e sua pele ainda tinha um leve tom de bronzeamento.
-O.K. –Disse Alan. –Posso até aquentar o frio, mas seus olhares de malicia já são demais.
-Estou a treinar Violet, e para um ceifador possuir energia da excitação é algo indispensável.
-E assim você explica o fato de passar mais tempo em uma cama em vez de trabalhando para manter a ordem. –Katherine falou em tom de sarcasmo.
-Da mesma forma que você tem que se manter pura, eu também tenho que me manter impura querida. –Rebateu a ceifadora em tom de deboche.
-Se eu fizer sexo com alguém consigo sugar a energia com a boca. –Violet falou se lembrando de algo.
-E é por esse detalhe que você se tonara a mais poderosa ceifadora da história. –Disse Swan. –Melhor em ceifar do que eu mesma, só sou poderosa porque conheço os segredos do fogo da Casa Vestal, e domino a Morte, meu Pilar não ajuda muito então nem conta. Sem isso eu seria uma ceifadora normal, mas você minha cara, poderá se tonar a mais poderosa de todas, basta apenas se dedicar ao máximo e... –Swan foi interrompida pelo fogo circular que surgiu. –Katherine, o fogo não deveria apenas queimar no pentagrama? Por que diabos esse está girando ao redor do circulo?
Boquiaberta a bruxa do fogo o encarou e o perguntou:
-Esse é o fogo que purifica, por acaso você é uma garota virgem?
Ficando com o rosto vermelho de vergonha, Lance quebrou a concentração, fazendo o fogo sumir.
-Tá de sacanagem. –Disse Alan. –Como porra o mago da Luxuria ainda é virgem?
Sendo atingido por um chute no rosto Alan foi jogado no chão.
-Não sou seu amigo e nem tenho tanta intimidade parar falar sobre isso com você.
-Briga de garotos só de cueca. –Disse Swan se animando.
Dando uma leve risada Violet disse:
-Conheço Lance desde criança, crescemos juntos na mesma casa, e como prima dele o conheço bem, diferente de mim, ele nunca quis perder a castidade dele, e tudo ficou confuso quando o cristal se quebrou e ele foi possuído pela Luxuria, ele ficou serio e ranzinza, mas mesmo com tanto desejos sexuais dentro de si, ele continuou a lutar contra os desejos carnais.
-Tá... –Disse Katherine ainda confusa. –Mas isso não explica o por que dele conseguir usar as chamas de purificação.
-Para mim isso é bem evidente. –Disse Swan ficando em é e indo até o garoto de cueca a sua frente, e ao o encarar nos olhos ela disse. –O demônio da Luxuria que habita dentro dele é uma garota, e como ele possui uma espirito fêmea dentro dele e um corpo ainda imaculado, isso enganou o espirito da natureza permitindo a ele usar tal magia, incrível a habilidade que os cristais têm de quebrar as leis naturais desse mundo.
-Do que você está a falar? –Perguntou Katherine percebendo uma leve mudança na voz de Swan.
-Tenho um amigo bastante peculiar, e a um certo tempo ele me explicou as diferenças entre os anjos e demônios desse mundo. –Tomando a atenção de todos agora, até mesmo de Alan que havia acabado de se recompor ela prosseguiu. –Tantos os anjos como os demônios foram catalogados e classificados pela cor dos olhos e por fim por rank, para começar, temos os olhos amarelos, que são seguidos pelos pretos, brancos, vermelhos e por fim os azuis. Demônios de olhos amarelos são os pesadelos, e algumas tentações e medos, olhos negros são os demônios que consegue possuir os humanos, porem não fazem muito estragos, olhos brancos, são mais poderosos, e conseguem manipular os elementos e pragas, olhos vermelhos ou os de rank A são demônios incontroláveis e extremamente poderosos, com poderes capazes de começar um apocalipse, e por fim demos os de olhos azuis, os demônios de rank S, não existem muito deles, os poderes deles são incomparáveis, e felizmente eles servem apena ao deus dele a Destruição, eles não possui qualquer corpo humano, porque se não destruiriam esse corpo, e são os únicos demônios que conseguem nascer na forma humana através de um útero humano. O mesmo se aplica aos anjos, nosso líder, por exemplo, é um anjo de olhos azuis encarnado na forma humana.
-Interessante. –Disse Violet.
-E o que isso tem haver com os magos de cristais? –Katherine perguntou.
-Os ceifadores são uma mistura de anjos e demônios de rank B, ou seja de olhos brancos, porem a Morte, é um anjo de rank A, de olhos vermelhos, se Violet a maga da Vaidade conseguiu devorar um anjo isso quer dizer que seu poder é maior do que o rank B, e como Lance conseguiu enganar o espirito da natureza isso só quer dizer uma coisa. Os pecados capitais de nosso mundo são demônios de rank D, os de olhos amarelos, mas do mundo de onde o poder do Mago de Cristais veio, eles são superiores aos demônios de rank A.
-Os pecados são demônios de olhos azuis? É isso que você quer dizer Swan? –Perguntou Katherine mostrando preocupação.
-Exato. –Disse Swan em uma mistura de preocupação e seriedade.
-Natallie. –Violet falou confusa. –Você acabou de dizer que tanto os demônios como os anjos de olhos azuis possuem um poder surreal, mas pelo que sabemos o Mago de Cristais foi quem os matou e capturou a essência deles nos cristais, não deveríamos nos preocupar em saber o qual poderoso o Mago de Cristais foi?
Swan deu uma espécie de risada insana e disse:
-Eu não me preocuparia em saber quem o Mago de Cristais foi, não é o fato de ele ter matado sozinho sete demônios rank S, mas sim o fato de alguém ter conseguido matar ele, e é esse alguém que está me incomodando. –Swan deu um grito de medo e olhou rapidamente para trás. –Que porra é essa meu irmão? Susto do caralho. - uma folha em chamas surgiu em meio ao nada por trás da garota, e quando as chamas cessaram ela a recolheu e ao desamassar a leu em voz alta. –Swan, fui feito de refém por David, estou no reino de Avalon, me ajuda. Assinado Gui. –Após olhar por um tempo para o papel ela disse. –Que... Como assim no reino de Avalon?
-Creio que temos nossa primeira missão. –Disse Alan sorrindo em meio ao pentagrama que agora queimava.
Swan sorriu em resposta concordando com a cabeça em seguida.



III
-Como iremos ao reino de Avalon? –Questionou Shin.
Swan estava ao lado dos três magos de cristal que ela junto dcom bruxa de fogo que também estava presente, estavam a treinar, na sala onde eles se encontravam, estavam também o Mestre dos Brinquedos, Shin, a oraculo e a Bruxa do espelho.
-Consigo abri pontais pelo espelho, mas não consigo levar tantos magos através dele. –Disse a bruxa da floresta negra.
-O reino de Avalon ein!? Isso explica eu não os ter encontrado. –Disse a pequena oraculo.
-A feiticeira interdimensional tem poderes e habilidades para nos levar até lá sem dificuldades. –Felipe começou.
-Está fora de cogitação. –Disse Shin o interrompendo. –Conheço muito bem minha mãe, e ela só faria tal coisa depois que pagássemos um preço, mesmo você e Swan sendo da Cúpula, só podem obrigar um outro membro fazer algo de “bom grato” através do voto da maioria, e sabemos que a alguém dentro da Cúpula está do lado de David, se levássemos isso a voto, o Guardião do fogo sumiria de lá antes que nós o pegássemos.
-Não se preocupem, já pensei em tudo. –Disse o Cisne. –Eu sei que a Feiticeira cobraria um preço muito alto, não só apenas para nos levar lá, mas para manter segredo também, isso é, se ela não for a informante de Huhlvan dentro da Cúpula, por isso chamei alguém que conhece melhor que ninguém o reino de Avalon, e poderá nos levar até lá.
-Como assim Swan? Aquele é o reino de Le Fay, que seria louco o suficiente para ir até lá, e pior, para nos levar? Mesmo não sendo a feiticeira, suponho que será um preço alto e...
-Não se preocupem, os levarei de graça. –Disse um garoto de dezesseis, dezessete anos entrando sala adentro.
-Kawaii... –Disse Shin encarando o garoto que estava vestido com um casaco com capuz com orelhas na cor roxo.
-Me chamo Lincy P. e conheço melhor que ninguém esse reino, posso não ser a feiticeira, mas poso levar a todos lá.
Felipe olhado para Natallie disse:
-Swan? Se explique!
-Longa história, e não temos tempo para isso, agora vamos, Lincy?
O garoto de capuz com orelhas concordou com a cabeça, e um símbolo feito de sombras surgiu sobre os pés deles e antes que eles pudessem piscar estavam em um piso ao céu aberto no topo do palácio.
-Prontos? –Perguntou Swan transformando seu anel em foice.
Felipe havia tomando a forma de marionete, Lance tirado sua camisa sentindo a energia da Luxuria fluir, Shin colocou as luvas de fios, Violet retirou o sobretudo, Kate estava com os olhos brancos,  a bruxa da floresta negra estava com uma bengala de madeira em uma das mãos e o rosário na outra, Katherine estava com chamas nos olhos, Alan apenas concordou com a cabeça e Lincy retirou o capuz mostrando com clareza seus olhos azuis e seu cabelo semelhante as fios de ouro.
-Que a treta comece. –Disse a ceifadora por fim.



IV
-Pronto. –Disse Gui entregando uma bússola a David.
Sorrindo ele a tomou para si a contemplando.
-Obrigado Gui, te garanto que vou lhe recompensar mais tarde. –O de olhos azuis falou quase beijando o garoto que respondeu com um leve sorriso. –Alckmin, Bianca, preparem as coisas para o ritual, abriremos as portas para o inferno ainda hoje. –Quando David parou de falar uma explosão e um mago voando em meio o fogo lhe chamou a atenção. –Mas o quê?... Swan?
-Olá meu vilão gostoso favorito. –A garota balançou sacudindo a poeira foice dela. –É hoje que irei te ceifar, filho da mãe.
-Como você? –Ele olhou para Gui que já estava do outro lado do salão invocando seus lobos. –Você? Mas como? Eu lhe induzir.
-Não baixe a guarda. –Disse o Cisne atacando o jovem que desviou rapidamente, quase sendo atingido pela foice que acabara de corta o parte do piso e madeira.
-Já lutamos antes, você não é pario  contra mim sozinha.
-Não estou sozinha, e dessa vez posso usar a Morte para lutar ao meu lado, já que Christopher está ocupado com Felipe ou algum outro mago que veio comigo. –A Morte surgiu por trás da ceifadora encarando com seus olhos vermelhos o mago a sua frente.
-Alckmin? –David olhou para o outro que estava a lutar contra Gui. –Droga. Ele saltou para trás invocando o poder do Pilar, sendo protegido por chamas que tomava a forma de uma armadura flamejante com assas de fênix.
            A Morte o atacou com por um lado  e Swan pelo outro, a força do ataque fez com que David voasse levando umas duas paredes com ele.
-Meu Senhor! –Disse Alckmin tendo a atenção desviada, sendo atingido pelos lobos.



V
Christopher foi com tudo para cima de Lincy, o acertando em cheio com a ponta de sua corrente.
-Te peguei, você e seus amigos vão pensar mais de uma vez antes de... –A parte do corpo onde Christopher acertou Lincy havia se transformado em sobras e o garoto apenas deu um passo para o lado tirando a corrente de dentro de si. –Quê? Minhas correntes, os chifres de unicórnio, deveriam anular sua magia.
-Não tente entender, até hoje nunca consegui compreender a me mesmo. –Lincy disse caminhando em direção do mais velho.
Christopher recolheu as correntes e desapareceu no ar, Lincy começou a procura-lo quando foi atingido por um chute no rosto, sua face havia se transformado em sobras, mas antes que pudesse se recompor, Christopher reapareceu em outro lugar e começou a deferir golpes corporais, mas todo lugar onde tocava no loiro se transformava em sombra, foi quando Lincy caiu de quatro sobre o chão ficando com os cabelos que se comparados a dois, três anos, estava mais curto, ficaram brancos. Ele se reergueu olhou para o Guardião do Ar que desapareceu mais uma vez, “Lincy” Chutou o ar atrás de si no momento exato quando Christopher ia reaparecendo o atirando com tudo contra a parede, um cuspindo um pouco de sangue ele disse:
-Mas, como? –Ele parou quando viu os olhos azuis penetrantes do garoto de cabelos brancos o encarando.
-Você ira se arrepender de ter ousado machucar o Lincy.



VI
-Picadinho do seus corpos, vou fazer, vou fazer, picadinho de seus corpos lindas damas. –Cantarolava o Mestre dos brinquedos vendo seus fios partindo os corpos de dezenas de bruxas que não tiveram tempo nem de ver o que as atingiu.
Do outro lado do palácio estava a bruxa da floresta negra cercada por magos do clã dos bruxos da morte.
-Você não deu sorte minha senhora, deveria está em um asilo e não em uma batalha, você deveria deixar isso para os mais jovens. –Disse um dos bruxos em tom de deboche.
Sorrindo de lado a velha apenas movimentou seu rosário, que ficou parado no ar, quando ela ergueu a cabeça viu todos pendurados na parede.
-Mas o que é isso? –Disse um deles com dificuldade de falar.
-Quem vocês estavam chamando de velha mesmo? –Ao movimentar seu rosário mais uma vez, as cordas dele saíram entrando cada uma em um dos magos lá presos, ficando nas mãos dela, um mero cordão. Largando sua bengala que se equilibrou em pé sozinha, tomou o fio entre as mãos e fez uma cama de gato com ele. Ao mover os dedos, ela pode ouvir os gritos vindo dos magos mais jovens a sua volta, ela havia quebrado os braços e pernas deles, e ao olhar para o que via debochado dela ela disse. –Vou te mandar primeiro ao inferno por ter me ofendido. –Ao contemplar a face de medo e dor do homem, ela moveu deus dedos e a cabeça dele voou longe. –Agora vamos brincar. –Ela voltou a movimentar os dedos e a ouvir os gritos de agonia dos demais.
-Eu sabia que você dava conta deles sozinha. –Disse a oraculo sorrindo ao entrar e ao ver o olhar de reprovação da mais velha.
Não muito longe dali estava Violet, caminhando em direção a um grupo que a aguardava.
-Não pense que pegaremos leve com você só porque é uma piranha bonitinha. –Disse uma bruxa. –Inimiga de nosso senhor, é nosso inimigo também.
Sem falar nada. Violet apenas abriu a boca, sugando de uma vez só a essência vital dela e de seu grupo, que caíram se debatendo no chão com a pele enrugada e os cabelos grisalhos.
Vaidade apenas engoliu a essência e continuou a andar passando por cima dos corpos sem se importar muito.
Quando ela passou perto de um dos corredores viu Alan correndo.
-Merdaa... –Dizia ele fugindo de chamas que o seguia. –Eu já disse que foi sem querer.
Lance se aproximou de Violet junto com Katherine e disse:
-Toda ala sul está limpa, mas sem sinal do Guilherme.
-Por que você estava atacando a Avareza? –A garota de olhos lilás perguntou.
-Quando Lance ia atacar um mago, Alan canalizou os poderes dele e derrotou o mago primeiro. –Respondeu Katherine.
-Tá explicado. –Disse Violet.



VII
-Vamos atrás de Swan, ceio que ela teve mais sorte. –Disse Shin arrastando Christopher que estava preso em seus fios. –Como você conseguiu derrotar ele?
-Bem, é um pouco complicado. –Respondeu o de casaco roxo. –Aproposito, você é japonês?
-Não. –Respondeu o outro. –Sou de origem coreana, mas nasci na Bélgica.
-Legal, Sou britânico, eu acho, não sei bem.
-Excalibur. –Disse David acertando a foice de Swan a fazendo voar perto dos garotos. David estava a lutar em pé de igualdade com Swan e a Morte. –Já te avisei Swan, sem usar os poderes do Pilar, será impossível me derrotar.
Se levantando a ceifadora disse:
-Isso é o que veremos meu caro.
Swan voou com tudo o que tinha para cima de David que gritou mais uma vez o nome de sua espada, liberando uma rajada de luz dourada dela.
-Estamos no reino de Avalon, a Excalibur fica mais poderosa aqui, é serio que você está tentando me derrotar com uma foice velha e o espectro moribundo.
-Quem você está a insultar. –Disse a Morte mostrando agora seus longos dedos esqueléticos. -David Huhlvan, a muito tempo espero o dia para lhe beijar, e sua alma ceifar, você é um dos poucos a quem eu ceifarei pessoalmente, não ouse me ofender ou brincar comigo, ou será a ultima coisa que farar.
Engolido em seco ele deu um passo para trás e olhando de lado viu a bruxa de cabelos cacheados que o servia pessoalmente o chamando ao longe. Antes que Swan pudesse fazer algo, ele desapareceu em meio as chamas.
-Filho da puta. –Disse a garota. –E vocês o que estão fazendo aqui? –Falou ela questionando Lincy e Shin.
-Estávamos te procurando. –Respondeu Shin. –Derrotamos o Guardião do ar e o trouxemos até aqui.
-Quem derrotou quem? –Lincy disse surpreso encarando o outro.
-O.K. e onde é que Christopher está mesmo? –Questionou Swan.
-Bem aqui... –O mago do Ar havia desaparecido. –Mas que merda.
Swan revirou os olhos e disse:
-Vocês esqueceram que ele poderia se teletransportar se recobrasse a consciência e mesmo assim não ejetaram o sumo da flor de lobélia nele. Shin, por que mesmo você abriu mão dos seus poderes? Acho que mesmo usando cem por cento do seu cérebro, você continua sendo um idiota.
-Magoou. –Disse o garoto baixando sua cabeça.
-Natallie. –Disse Lincy encarando a garota. –Acho que é melhor irmos, algo muito ruim vai acontecer.
-Também estou sentindo essa energia, vamos.
Swan colocou a mão direita sobre a marca dada por Elion em sua mão esquerda e se conectou a todos da ordem.
-Voltem para o piso superior, iremos nos encontrar lá, e retornar para casa, nossa missão aqui terminou.
Todos concordaram com a cabeça de onde estavam e começaram a ir para a direção informada.
-Swan. –Disse Gui. –Eles vão tentar trazer um dos generais.
-Eu sei. –Disse ela acelerando o passo.
-Eu não fiz um objeto magico como eles me pediu, por alguma forma, o poder de manipulação que Huhlvan possui não funcionou comigo, por isso te mandei a carta através do fogo, eu criei apenas um objeto comum, sem poder algum.
Sorrindo Swan disse:
-Isso me deixa mais aliviada, mas conheço o rito que o maldito está a fazer, e mesmo assim, mesmo a nova bússola não funcionando, um demônio aleatória irar aparecer, é melhor darmos logo o fora daqui.
Concordando em silencio eles apenas a seguiram.



VIII
Espremendo o coração que um dia pertenceu a filha de Sebastian, David disse:
-Está pronto.
-Tem certeza que irar funcionar? –Disse Christopher por trás do de olhos azuis. –Não creio que Gui tenha criado a joia como você pediu. Você viu que ele não foi controlado.
Após rir, David disse em resposta:
-Aquele garoto não faz ideia do tamanho do poder que possui, eu não precisava que ele colocasse magia no objeto, e sim que criasse um. –Ele jogou a bússola no portal que havia acabado de se abrir e voltou a falar. –A bússola original foi criada por acidente, pobre garota, mal sabe ele que sua vida e de seus amigos termina agora.
Uma energia maligna começou a ser liberada pelo portal, mas ao invés de sai um único demônio saíram sete.
Os sete generais do inferno estavam ali, na presença dos bruxos.
-Ooouuu... –Disse Bianca.
-Que o apocalipse comesse. –David disse se virando indo em direção ao andar de cima



IX
-Está todo mundo aqui? –Lincy perguntou.
-Sim. –Respondeu Felipe. –Pode ir.
-Não tão rápido. –Disse David se aproximando.
-Merda. –Disse Swan. –Gui, que porra você fez?
- Leviatã, Belzebu, Baal. –Disse Kate reconhecendo alguns deles.
-Fodeu. –Disse Shin pra si mesmo.
Em tom irônico David disse:
-Hoje perdi metade de meus magos, mas ao menos levarei os favorito de Elion.
Lincy tomou a frente ficando mais uma vez com os cabelos brancos.
-Nenhum dos amigos de Lincy morrerá, não hoje, não comigo aqui.
-Ora, ora, ora, se não é um dos sete demônios de olhos azuis favorito do papai. –Leviatã falou dando um passo a frente. –Diferente do que as pessoas falam, ele não é o demônio da inveja, como Swan falou antes, a inveja possui olhos amarelos e os demônios invocados por David são de olhos vermelhos. E diferente do que falam ele também não era uma serpente, ao menos não literalmente. –Somos poderosos, bem mais que os demônios de rank S criado pelo pai, a cor de seus olhos não nos poie medo. –Ele surgiu na frende de “Lincy” e o socou o fazendo cair sobre o chão.
-(Espera, ele não virou sombras dessa vez). –Pensou Christopher. –(O cabelo também mudou, será que?).
Os generais se aproximaram e um deles disse.
-Temos ordem de Lúcifer para matar a todos que estiverem no caminho do humano aqui. –Disse ele se referindo a David. –Mas você de olhos azuis, o levaremos vivo para nosso reino, e iremos brincar com você.
Com um sorriso irônico “Lincy” se levantou e disse:
–Talvez eu não possa da de conta de vocês sozinho, mas sei quem pode.
Leviatã saltou para trás, e os demais param ao ver uma criatura alada surgindo ao lado da criança possuída. Uma criatura alada de vestes brancas, armadura reluzente, longos cabelos preso em um tipo de rabo de cavalo, com uma lança flutuando ao seu lado e olhos azuis semelhante a safira disse:
-Vocês falaram que tem poderes semelhantes a demônios de rank S, então creio que não se importe de lutar contar mim, criaturas deploráveis.
Colocando as armas sobre os ombros os sete demônios deram a volta e falaram juntos.
-Eu vou... Eu vou, eu vou. Pra casa agora eu vou.
-É o quê? –David falou confuso. Vendo as criaturas demoníacas se dissiparem. –Juro que não entendi.
Os cabelos de Lincy voltaram a ficar loiros e ele praticamente desmaiou, só não caiu no chão porque a criatura alada o segurou.
-Vai com calma criatura humana.
Sorrindo ele agradeceu e disse olhando para David.
-Esse aqui seu merda, é o Safira, general dos Céus, o assassino de demônios, você vai precisar de bem mais que meros demônios para mata-lo. Safira você pode matar ele por gentileza? –Ele disse olhando para o anjo.
David deu um passo para trás ao sentir com clareza o qual devastador era o poder daquela criatura quando ela disse:
-Não!
-O quê? Por quê? –Lincy falou confuso.
-Ele é igual a você, não posso ataca-lo, lutar com ele vai além de minhas obrigações, se vire, mais acho que agora seja melhor você e os vermes de seus amigos voltarem para casa e reelaborarem uma estratégia.
Uma luz tomou conta deles e sem que eles percebessem estavam na casa de Felipe e Safira já havia ido.
-Swan!? –Disse Felipe de forma serie.
-Eu sei, eu sei. –A garota disse sabendo que havia se metido em encrencas.



X
Sentada em seu trono estava Morgana quando David se aproximou furioso.
-Você mentiu para mim, nosso acordo foi o reino de Avalon em troca do coração de Elion, e hoje tive meus planos estragados porque um fedelho com um anjo apareceu com Swan e um grupo de magos.
-Primeiro, abaixe o tom antes de falar comigo, se não arranco sua língua fora, segundo, eu não recebi minha parte do acordo, então não lhe darei o reino por completo, e por fim, não sei do que você está falando, ninguém além de mim e da líder dos magos interdimensionais conseguem ir aquele reino.
-Parece que uma criança loira que carrega um demônio dentro de si e um anjo ao seu lado pode. –David disse baixando o tom de sua voz, mas ainda permanecendo furioso.
-O que você falou? –Morgana agora estava em pé. –Seus cabelos caindo sobre seu rosto, e seus olhos azuis lembravam algo a David, mas o quê?
-O que você ouviu, ou vai me dizer que o passar dos anos a deixou surda?
Morgana atirou David conta a parede e disse:
-Sou mais velha, sou mais poderosa, lave sua boca antes de ousar em falar comigo, não irei aturar tamanha insolência comigo pirralho, fizemos um acordo, e lhe dei o reino de Avalon, agora se você é incapaz de derrotar uma criança, não jogue sua incompetência nos outros, principalmente naquela que pode arrancar seu coração, afinal você não cumpriu sua parte do acordo. –David gritou ao sentir seu coração  começando a ser esmagado pela energia De Le Fay. –Não sei o que você pretende fazer agora e nem me interesso em saber, saia daqui e não ouse voltar sem sua parte do acordo, ou terei seu coração no lugar do de Elion. –Ela lançou David para o outro lado da sala, onde ele foi engolido por um portal e desapareceu.
Morgana caminhou até uma mesa no canto e pegando uma mascara de porcelana de lá colocou em seu rosto o escondendo e disse:
-A diversão está apenas prestes a começar.


J. Aeff

Nenhum comentário:

Postar um comentário