Aviso!

Olá caro humano, seja bem-vindo ao nosso mundo sobrenatural! Se essa é sua primeira vez aqui, recomendo que comece a lê por nossa primeira história, “O Sequestro”, que pode ser facilmente encontrado se você abrir o botão da primeira geração, Detectives, que fica no menu acima. Caso você seja um de nossos fãs, tenha uma boa leitura e não esqueça de comentar, ou caso contrario, kraismos morderá todos vocês, isso se Castiel não lhe bater primeiro.

domingo, 20 de maio de 2018

66 - O fim do começo


 

Não importa o quão poderoso você seja, ou a quantidade de títulos que cogite. Sem sabedoria se tona impossível erguem uma pirâmide em meio ao deserto.
(Shin Jiho)




I

Um feixe de luz desceu dos céus semelhante a um raio e atingiu com ferocidade a Excalibur, e a mesma absorveu toda aquela onda de energia.
 Surgindo por trás de Huhlvan, Christopher e os outros dois bruxos se aproximaram, quando o de olhos azuis disse:
-Bom trabalho, tudo saiu bem melhor que o planejado.
-Eu poderia ter usado o exército de mortos vivos para muitas coisas, como o estopim para uma guerra civil. –Falou Fastos.
-Você viu a velocidade que aquela bruxa ruiva queimou seus preciosos? –Questionou Lilith. –A atual Cúpula é mais poderosa que a de sua época. Temos que pensar com calma.
Retirando a Excalibur da rocha David falou:
-Seja como for, creio que a Cúpula não é mais tão grandiosa contra mim. Christopher, apesar dos baixos que tivemos com a morte daqueles dois, e dado o fato que eu poderia ter tomado o sangue de Elion para mim, creio que teletransportar a energia liberada por Swan para a minha espada a fez se igualar a espada de Elion, e isso me dá uma vantagem perante nove dos dez membros da Cúpula.
Sorrindo o outro garoto apenas caminhou para o lado do de olhos azuis e o dando um soco de leve em seus ombros, saindo em seguida.



II

Elion entrou rindo ao lado de Swan sessando o sorriso ao ver o Shin caído por cima do Lincy.
-Você já comeu, esse pedaço de chocolate é meu. –Dizia Shin segurando o garoto ao chão com uma mão e com a outra ele tentava abrir a boca go garoto.
O outro apenas fazia força fechando a boca e imitindo algum tipo som.
-Como assim eu comi o meu e não percebi, você é muito espertinho para o meu gosto, agora abre logo essa boca e me dá, é meu poxa. –Shin disse em resposta.
Swan ergueu uma de suas sobrancelhas sem entender o que estava a acontecer.
Elion por sua vez levou sua mão na boca e pigarreou chamando a atenção dos garotos que estavam lançados ao chão.
-Vocês acabaram de chegar de uma batalha e já estão brincando?  Shin você deveria está com Iago e Lipe elaborando algum plano e não brigando por chocolate, pelo amor, se você quer comer vai à dispensa, tenho certeza lá você encontrará mais alguns.
-Elion, desculpa atrapalhar. –Disse Lucy entrando. –Temos que conversar, Swan venha comigo também.
Concordando apenas com a cabeça, eles seguiram a garota em silencio, mas antes de sai da sala Elion olhou mais uma vez para Lincy cujo qual havia acabado de engoli o restante do chocolate.
Entrando onde ficava a biblioteca Elion disse olhando para tudo destruído.
-Pelo amor, o que aconteceu aqui?
-Você, foi o que aconteceu. -Disse o anfitrião.
Confuso Elion perguntou:
-Como assim, eu?
-Não vou ficar gastando meu dinheiro reformando minha casa para você ou alguém entrar aqui e ficar quebrando tudo de novo, vou deixar assim mesmo, quando alguma coisa voltar a acontecer já vai está tudo quebrando mesmo.
Corando Elion apenas baixou a cabeça em resposta.
  Swan olhou para Lucy e perguntou:
-Então, por você nos chamou aqui?
-O clã. –Respondeu Lucy que dessa vez estava vestida de forma composta. Chamando a atenção de Elion ele prosseguiu. –Sabemos que desde a ascensão o Clã do Sol e da Lua ficou dividido entre o certo e o errado, claramente vários magos se ergueram e abandonaram seu atual regente, e os que permaneceram ajoelhados em sua maioria estão se questionando sobre a liderança de seu mestre.
-Onde você quer segar Lucy? –Perguntou Swan, porém dessa vez quem respondeu foi o Mestre dos Brinquedos.
-Não podemos contra atacar o grupo de Huhlvan, o clã já acha que ele está certo em suas palavras se contra ataca-lo ele estará certo em suas ações também.
-Então, temos que ficar aqui esperando ele foder a gente? –Natallie estava começando a se exaltar.
-Ou faremos isso ou simplesmente nosso clã nos abandonará. –Felipe disse em resposta.
-Ele está certo Swan. –Elion tomou a palavra. –Deixe ele vir, e que venha com tudo que tem, no final das contas juntos somos mais, e assim o clã, a Cúpula e todo o resto abrirá os olhos e enxergaram a verdade.
-Elion. –Disse Ed entrando biblioteca a dentro.
-Mas o que foi Zé Ruela? –Swan e Lucy falaram em uni som.
-Nosso pai, ele, ele. –Ed falava com os olhos cheios de lagrimas. –Ele está morrendo.
O encarando com um olhar sereno Elion o respondeu:
-O.K.  Volte para casa e fique ao lado dele pelo restante da vida que ele ainda tenha.
-E você? Não vem? –Ed o questionou confuso.
-Ele é seu pai, não o meu, já conversamos sobre isso. Não dou a mínima para o que acontece ou deixa de acontecer com ele.
Ed ia acertando Elion com um tapa quando Lincy surgiu em meio as sobras e segurou a mão dele.
-Não sei que tipo de relação você tem com o Lorde, mas se você bater nele, eu te mato. –Finalizou Lincy quebrando o braço do outro.
Todos os presentes apenas olharam para os dois.
Esperando uma reação de Elion, Ed apenas segurando o choro saindo correndo.
-Elion. –Disse Ruan entrando ao lado de Thamara.
-O que é??? –Elion disse ficando nervoso.
-É sobre as cavernas na Amazônia, A sintozóide da biblioteca de Shin viu que havia algum tipo de anomalia acontecendo por lá.
-Tem mais essa. –Falou Felipe.
-Vamos ver seu pai, de lá vamos para a floresta. –Disse Swan tomando a liderança.
-Elion, Despois continuaremos com nossa conversa. Vá! Resolva seus problemas, depois retomaremos de onde paramos. –Disse Lucy tentando finalizar o assunto. -O ajudarei no que precisar.
-Tem mais uma coisa. -Felipe voltou a falar. -O dia do torneio está se aproximando, mesmo com os problemas que estamos enfrentando acredito que não devemos cancela-lo.
-Torneio? Que torneio? -Elion perguntou o encarando.
Respirando fundo o Mestre dos brinquedos disse:
-Eu havia me esquecido, esse é o primeiro torneio que acontece nessa geração. Os torneio de graduação acontece uma vez por ano, desde que acha um regente nomeado, e de forma geral, no fim de cada torneio o mago vencedor ganha um posto de elite mais uma certa quantia em dinheiro, e um desejo que seja possível, realizado.
-Depois você nos manda o manual de instruções, resolveremos um problema de cada vez, agora vamos Elion. -Falou Swan puxando o outro pelo braço.
-Pronto, novo em folha. -Falou Castiel ao terminar de curar o braço do irmão mais velho de Elion.
-Braço concertado e pronto para outra, agora vamos resto de encruzilhada, o deixaremos em sua casa. -Swan o puxou com sua mão livre, e saiu assim, arrastando os dois irmãos mansão a fora



III

-Qual é o plano? -Perguntou Tamara para os demais.
-Alguns de vocês iram para a Amazônia investigar a anomalia de lá, enquanto o restante ira para outro pontos investigar traços de magia que estão crescendo. -Disse a garota com olhos de oraculo.
-E por que não ficamos todos juntos? -Perguntou Ruan?
-Por que não a acasos, as coisas acontecem da forma como devem acontecer, aguem terá que morrer para que possamos da um passo a frente de nossos inimigos, e isso é inevitável, se eu colocasse todos vocês em um único lugar, só iriamos nos prejudicar mais à frente.
Não consegui entender. -Falou Rapha.
-Claro que não, não expliquei o plano a você minha cara. A oraculo rebateu.
Antes que o desnecessário fosse dito, Lucy tomou a palavra:
-Swan nos encontrara lá, ao lado do Elion, Ruan e Thamara, vocês devem ir comigo, afinal é obrigação de vocês dois protegerem o regente, Shin e o novato venham também, Castiel vá com Katherine e reúna os demais magos, acredito que esteja na hora de conversamos mais a fundo. Os demais obedeçam às ordens dada por Kate.
-E quando a mim? -Perguntou O mestre dos Brinquedos.
-Em breve receberemos convidados, e como anfitrião, deverá recebê-los. -Disse a garota loira de olhos brancos.
-Gui ficará comigo, até a hora predestinada. -Falou a bruxa da floresta negra. -Vão, o tempo está se esgotando. -O símbolo em sua mão brilhou a levando junto de Guilherme Hou para a sala onde o espelho estava.
Pulando de cima da mesa onde se encontrava, Kate falou encarando os demais.
-Vocês ouviram ela, vão!



IV

Com sua foice Swan ceifou alguns pequenos mensageiros da morte que se aproximavam do corpo de um velho moribundo que gemia em cima de uma cama e disse:
-Isso é o máximo que posso fazer, ele não irar durar muito, diga a deus a ele e vamos, sinto uma energia ruim neste lugar, não é seguro ficarmos mais nesta cidade.
Com lagrimas percorrendo seu corpo, Ed se aproximou de seu pai, e segurando sua mão falou;
-Perdoe-me por não está ao seu lado durante todo este tempo, queria ter vindo aqui antes, mas estava cuidando do maninho e...
Ao ver um leve sorriso se formando no rosto de seu pai, Ed se calou e olhou na direção de onde os olhos cansados de seu pai encarava, e fez um gesto para que seu irmão mais novo se aproximasse.
-Não espere que que eu vá chorar ou dizer que amo alguém só porque esse alguém está a morrer. Mais uma vez repito, ele não é meu pai, nunca foi, e não será agora que passará a ser.
-E-Elion. -Disse o velho lhe faltando ar. -Eu amava sua mãe, do meu jeito, mais a amava.
Bufando o garoto de cabelos ondulados virou-se para o velho e o respondeu.
-A amava tanto que a traiu, amava tanto, que a deixou morrer, a amava tanto que abandou seus filhos para viver com uma prostituta qualquer. Adivinha só papai, sua carcaça também será amada pelos demônios, quando eles o tiver devorando. -Lagrimas começaram a vasar dos olhos daquele ovem adulto, daquele que mesmo sendo maior de idade, mesmo sendo regente e predestinado a grandeza, possuía um coração semelhante à de uma criança machucada.
-Elion chega. -Falou Swan. -Ele já se foi, está bem? Seu pai está morto.
Ofegante ele secou seus olhos com seus pulsos e olhando serio para os dois a sua frente disse.
-Vamos, -Não temos mais o que fazer aqui.
-Pretendo enterrar nosso pai Elion. -Ed falou, mas antes que alguém pudesse o responder, o cadáver como toda a casa queimava em chamas. -Swan!? -Disse ele sem entender.
-Como eu disse, tem alguma coisa se aproximando, não podemos nos dá ao luxo de permanecemos mais tempo aqui, agora ver se escuta seu irmão frango de macumba e vamos, ou o deixarei queimar junto de todo o resto.
Serrando seus punhos o mais velho, porem mais baixo, seguiu seu destino, sem entender ao certo o que fazer.



V

O grupo selecionado pela oraculo estavam agora completos e reunidos na sala da casa de Jiho, quando Lucy disse:
-Sei que vocês passaram por muitas coisas nos últimos dias. Não faz muito tempo que Elion, eu e os demais voltamos e já nos virmos envolvidos em problemas, não posso me envolver na guerra que se aproxima, porém, farei de tudo para ajudá-los no que puder. Kate nos dividiu em três grupos, Ruan, Thamara deveram está com o Elion sempre. Suan, Lincy, Shin e Ed, vocês faram um outro grupo, eu ficarei com kraismos, Neify e Héstia.
-Eu já estive nas ruinas com o Ruan antes. -Falou Shin. -Os caminhos são bem objetivos, não sei o porquê dessa divisão.
-Não iremos para o mesmo lugar. -Respondeu Elion. -Um grupo irar para as ruinas, outro para a caverna onde estão os cristais, e o terceiro para o coração da floresta, onde se encontrar o altar do antigo reino.
-Como assim antigo reino? -Perguntou Lincy confuso.
Tomando a palavra, Shin Respondeu:
-A milhares de anos,  o mundo da magia era dividido em cinco grandes reinos, entre eles a capital da magia o reino de Elvish, seguido do reino de Sun, Sitaara, Yuèliàng, Black Kingdom. As ruinas em meio a floresta amazônica pertence ao Reino Negro, e o coração da floresta é onde fica o altar, ou em outras palavras, o lugar mais sagrado para a civilização antiga que lá morava, presumo que o grupo de Elion vá até lá, já que ele é o único que sabe onde o lugar fica ao certo.
-Presumiu corretamente. -Disse Elion se pondo de pé. -Não quero perder mais tempo, vamos tenho muita coisa para resolver.
Concordando com a cabeça os demais se levantaram do sofá onde estavam sentados e caminharam até a porta, onde Shin abriu um portal que os levou ao ponto de partida.



VI

O que se fazer quando nossas vidas já foram traçadas? Como se rompe os fios inquebráveis do destino? Não se pode ir contra a verdade, nem fluir ao contrário, a vida é um jogo onde as apostas são altas, e o destino é o vencedor. (Shin Jiho?) (Ms. Joseon, Feiticeira símbo-interdimensional)
Após admirar o céu estrelado Flamel tirando seus óculos, e ao virou-se, ele encarou as três figuras dentro de seu quarto disse:
-Eu pude ler. Está escrito nas estrelas. A guerra começa hoje.
-Eu diria ainda mais. -Falou aquela de longos cabelos negros. -Diria que ela já começou.
-Devemos agir agora mesmo, o destino da vida na Terra está em nossas mãos. -Evelyn disse sento interrompida por Agatha.
-Não devemos nos precipitar, as casas estão abaladas com essa história de nosso regente ser um anjo, tivemos retomar a confiança deles.
-E você acha que com os jogos de graduação teríamos alguma chance disso? Arriscar um movimento no jogo de xadrez que o levaria a vitória, por um que salvaria algumas peças, é algo muito ousado, espero que vocês estejam prontos para parar o preço apropriado a esse movimento. -A de longos cabelos negros voltou a falar.
-A senhora Joseon está certa, não podemos arriscar perder mais do que já perdemos, se não agirmos agora poderemos está arruinando tudo, a Cúpula já passou tempo de mais nas sombras, está na hora de erguemos as mangas e passar para a pancadaria. -Disse a ruiva.
-E assim iremos ver nossos inimigos queimar? -Questionou Flamel. – Joseon está certa ao falar que confiar todas as cartas na lealdade das casas seria arriscado, mas se dividimos essas cartas para os dois lados, poderíamos ter a chance de ter as casas mais poderosas do nosso lado, e ainda tomar a frente na batalha.
Joseon sorriu de forma irônica ao sentir que sua convidada estava a entrar.
-Não importa o quanto vocês elaborem um plano, o Guardião do pilar das chamas escarlate sempre estará no mínimo três passos a frente. -Kate falou os encarando com seus olhos brancos.
-O que a Oraculo está fazendo aqui? -Questionou Agatha?
-Sabe qual é o problema de reuniões não oficiais da Cúpula? -A feiticeira tomou a palavra. -Os anciões. Eles nunca aprovaram nossos planos.
-Não sem a maioria dos votos da Cúpula, e vocês estão em quatro, posso disponibilizar mais três membros incluindo o regente entre esses três. -A criança de olhos brancos falou.
-Não envolvemos o Elion nisso, ao menos não ainda? -Flamel rebateu.
-E quando o envolveremos? -Questionou Joseon. -Antes ou depois dele romper os selos criado por Yue, ou quando a humanidade estiver perecida, não importa qual seja sua escolha, meu caro Nicolas, um preço sempre será pago, e um lado sempre cairá.
-Como? -Flamel falou surpreso. -Como você sabe dos selos.
-UUUHAHAHAHAHA, existe alguma coisa que eu não saiba? -A feiticeira questionou.
-Como entrar na casa de seu filho. -Respondeu Evelyn
- Hello darkness, my old friend. -Cantarolou o Mestre dos brinquedos indo de encontro ao grupo.
-Bate. -Falou Evelyn entendendo a mão onde recebeu um tapa de nela.
-o que está acontecendo aqui? -Perguntou Agatha. -Nossa reunião agora virou algum tipo de festa?
-Felipe pertence a minha casa, e é um dos meus alquimistas de confiança, sem contar que também é um dos dez membros da Cúpula, acredito que ele deva fazer parte disso.
-Se o plano de vocês envolver pancadaria, tenho a voz da Swan para votar sim por ela.
Evelin estalou os dedos, fazendo biquinho ao ver faísca saindo de seus dedos.
-Pela ultima vez, não iremos brigar, não ainda. -A velha de roupas roxas falou perdendo a paciência.
-Senhora. -Disse um dos cães da Juíza. -A cede do Clã, está sendo atacada.
-O que? -Disse todos em uni som.
-Como isso é possível? -Joseon falou olhando para a jovem oraculo.
-Eu não sei. -Respondeu Kate. -Não consigo ver, seja quem for tem o poder de destorcer minha clarividência.
Com um estalar dos dedos, Agatha fez um símbolo místico feito de sombras surgir por toda extensão da casa e falou:
-Esqueçam o que falei sobre não brigarmos. -Os olhos da velha bruxa ficaram brancos e uma sombra brotou do chão engolindo a todos.



VII

         A base principal da cúpula é composta basicamente por duas ares, um edifício o qual “pertence ao governo Belga”  e abaixo dele existe um Bunker, não apenas um mero v, mas sim O Bunker, ele se estendi por grande parte da cidade, é lá onde, documentos, relíquias, salas de reuniões e inúmeras bibliotecas magicas se encontra, um lugar onde qualquer um sem autorização seria impossível de entrar, e se conseguisse essa façanha, não seria capas de sair, ao menos não com vida.
Mas pela primeira vez em toda história do mundo da magia, alguém foi louco a ponto de não apenas invadir, mas de começar a destruir tudo, no intuito de chamar a atenção.
         -Qual clã de quinta ou conclave resolveu cometer suicídio? -Agatha perguntou após surgir no salão principal.
-Não é clã senhora, é apenas uma única pessoa, um garoto de pele pálida respondeu.
-Caro Maik, você está me dizendo que uma única pessoa conseguiu invadir o subterrâneo e vocês não conseguiram fazer nada para impedir? -A velha carrasca falou fuzilando o jovem rapaz.
-Não o culpe minha cara e gostosa Agatha. -Disse um homem abraçando a Juíza por traz agarrando-se firme a seus seios. -É velha, mas ainda da o caldo. -Disse ele de forma irônica.
Sentindo o sangue ferver em suas veias ela afastou o homem com energia pura.
-Se fodeu. -Falou os demais ali presentes.
-Não é à toa que você é uma das dez, é de me admirar que alguém de sua idade possa ir contra minha magia. -Disse aquele que a agarrará antes.
-Klaus, o que faz aqui? -Flamel perguntou sério. Qual justificativa você nos dar, para aparecer assim, sem avisar?
Klaus, um homem forte de pele bronzeada, barba ralam e olhos castanhos esverdeados, seus cabelos eram cortados de forma social e bem penteados para cima, seus lábios vermelhos se destacavam em seu rosto, porém, o que mais chamava atenção em seu corpo era as inúmeras tatuagens de símbolos que se espalhava pelos seus braços, pescoço, e era possível prever que se estendia por toda dimensão de seu corpo.
-Onde nosso regente se encontrar? -Perguntou ele. -O procurei por todas as partes, mas não há nenhum sinal dele aqui em Bruxelas, ou em qualquer parte da Bélgica.
-É porque ele não se encontra na Bélgica. -Disse Kate. -Agora me diga, quem é você e por que não consigo ver através de você?
-O nome dele é Klaus. -Respondeu Felipe. -Um dos únicos três membros da casa da simbologia restante, e provavelmente o mais poderoso da casa.
-E é por exatamente isso que estou aqui. -Disse o invasor. -Quero assumir a liderança da casa.
-Isso não é você que decide. -Falou Agatha. E não vai achando que irar escapar tão fácil pôr ter invadido este lugar.
-Na verdade ele vai. -Joseon tomou a palavra. -Ele é uma espécie rara e poderosa no mundo da magia, e uma das leis de nosso clã é protege-lo, afinal de contas, ele é mais do que útil, isso sem contar que ele neutralizou a magia de todos aqui dentro, chegando a libertar até mesmo a sua minha cara Agatha, e isso apenas nosso regente deveria conseguir fazer.
-Sem contar que estamos em meio a uma guerra. -Falou Evelyn. -Não queremos confusão com o provável líder de uma das doze casas primordiais e mais poderosas de nosso clã.
-E eu também não quero brigar com a velha mais gostosa do planeta. -Klaus voltou a apalpar os seios da Juíza.
-Ele está pedindo para morrer. -Flamel e o Mestre dos brinquedos falaram juntos.
-Não perca tempo com ela meu lindo Klaus. -Falou Joseon agarrando ele por trás e alisando seu rosto. -Sou bem mais jovem e convenhamos, sou bem mais atraente.
-Sai de perto coisa ruim. -Disse ele se afastando e demostrando medo em sua face. -Jamais ficaria com você, você tem um Priquito podre.
 O espaço e tempo naquela sala foi distorcido. Os longos cabelos negros de Joseon começaram a flutuas e seus olhos ficam vermelhos.
-Não é preciso prever alguma coisa para saber que só restaram dois magos dentro da casa da simbologia. -Kate falou sem mover um único músculo.
As marcas negras tatuadas no corpo de Klaus começaram a brilhar, liberando feixes de luz dourada e antes que os dois começasse uma discursão sem sentindo, o alarme daquele lugar disparou, chamando a atenção.
Um garoto de cabelos compridos e escuros e de óculos arredondados falou, após fazer um holograma do globo terrestre aparecer.
-Uma forte anomalia foi identificada próximo as ruinas do Reino Negro.
-Então. -Kate tomou a palavra com um doce sorriso no rosto. -Já começou!



VIII

-Shin porra, o que você fez? -Lincy perguntou correndo ao lado dele e dos outros dois.
-Foi sem querer. -Respondeu o coreano.
-Morte cuida disso. -Swan falou invocando o espectro, acertando a cabeça em seguida em uma das paredes do templo.
-Swan! -Gritou Lincy Voltando para ajudá-la. -Swan! Swan!!!


J. Aeff

Nenhum comentário:

Postar um comentário